quarta-feira, 9 de março de 2011

NBR e o aborto

A televisão oficial do governo federal é a NBR- EBC Empresa Brasil de Comunicação. Quando o Velhaco estava no poder, toda programação era voltada para ele. Saracuteando pelo Brasil a inaugurar obras, implantando cursos e escolas, vivia no discurso eterno em loas sobre si mesmo.

Hoje, como a presidenta não é dada à exposições e obas, a NBR passou a fazer programas com entrevistas chatérrimas. Nestas entrevistas, muitas são dedicadas a mulheres, discorrendo sobre seus abortos.Sim, sobre como fizeram e porque fizeram abortos.

Não sei como elas se prestam a mostrar a cara e falar , sem nenhuma emoção aparente, de como mataram seus filhos que as incomodavam, de uma forma ou outra .Os crimes estão prescritos e eu fico cá matutando se não estão fazendo apologia ao crime.

Por muito menos, duvido que se fosse com homens se estas entrevistas não seriam proibidas ou se o Ministério Público não agiria.

A mulher é muito discriminada mas existe muita leniência com mulher vagabunda.

De toda forma deixo este texto para conhecimento e reflexão.

Em uma Faculdade de Medicina, certo professor propôs a sua classe a seguinte situação:

"Baseados nas circunstâncias que vou enumerar, que conselho dariam vocês a certa senhora, grávida do quinto filho? O marido sofre de sífilis e ela de tuberculose. Seu primeiro filho nasceu cego. O segundo morreu. O terceiro nasceu surdo. O quarto é tuberculoso e ela está pensando seriamente em abortar a quinta gravidez. Que caminho aconselhariam tomar?"

Com base nesses fatos, a maioria dos alunos concordou que o aborto seria a melhor alternativa.

[ prolongado silêncio na sala de aula ]

O professor, então, disse aos alunos:

"Os que disseram sim à idéia do aborto, saibam que acabaram de matar Ludwig Van Beethoven."

Para os crentes Deus está no princípio das coisas. Para os cientistas no final de toda a reflexão.


8 comentários:

Fábio Mayer disse...

O Brasl é leniente demais com mulher vagabunda, concordo. Mas também é com homem vagabundo, aliás, o Brasil é um país onde irresponsáveis tem direitos demais e obrigações de menos...

Lucimere disse...

Magui, as vezes eu te acho muito séria, e isso me faz refletir sobre sobre mim, que sou tão boba ( me acho até infantil). Mas é que eu prefiro ver as coisas sob a ótica mais amena e vc por vezes me faz rever os meus conceitos, pois eu vejo muito enredo entre o sim e não (tipo, sou adepta de um "depende"); E isso acabou de acontecer, pois eu seria uma aluna que diria para abortar (entenda, depois de saber do histórico), mas não é assim que devemos resolver os problemas; O CERTO É O CERTO E O ERRADO SEMPRE SERÁ O ERRADO e os "senões" não podem servir de justificativas.
A presidente dará mais "assunto" que o velhaco, pode esperar.
bjo

Jens disse...

Um sofisma eloquente, Magui. Pena que os Beethovens são raros.

Beijo.

ONG ALERTA disse...

Verdade, mas tem os dois lados um a mulher hoje em dia se vulgarisou muito e por outro lado ela conquistou bastante espaço, beijo Lisette.

Jens disse...

Oi Magui.
Se tiver tempo, clica no link abaixo. Triste o modo como a mulher é tratada. Custo a crer que tenha sido publicado no Estado de Minas.

http://www.advivo.com.br/blog/luisnassif/o-inominavel-machismo-mineiro

Bj.

Jota Effe Esse disse...

Abaixo a pena de morte, responsbilidade para quem tem poder de mando! Meu abraço.

Vi e falei disse...

Magui este assunto me abala profundamente ver como pessoas (que se dizem de bem) tratam como a coisa mais normal do mundo tirar uma vida. Estou grávida e falar sobre isto até me altera emocionalmente...deixo mais para a frente.

Mudando de assunto, vc tem e-mail do Gmail? Poderia me mandar para vimarcia@gmail.com ? É por causa do blog (NO MOMENTO) está privado ai te mandaria o convite via e-mail.

Ana Miranda disse...

Já recebi esse e-mail inúmeras vezes, ele é mais completo, há histórias com outras personalidades que realmente merecem respeito, mas, EU, continuo 100% a favor do aborto.