sábado, 14 de maio de 2011

Denis , o ladrão

                                           
Estes dias fiquei por conta de um absurdo que tenho vivido nos últimos anos. Quem acompanha meu blogue deve lembrar-se de dois ou três textos, relatando furtos de telas de minha antena parabólica.

Começou há oito anos, quando me instalei definitivamente nesta casa. Senti o cheiro de maconha ou skank vindo da rua.   O cheiro forte me deu a sensação que estava fumando de meia com o vagabundo. Fui lá fora e me deparei com um homem alto, magro e branco. Falei com ele para fumar longe de casa e não transformar nossa rua em coito de drogado. Ele me disse que fumava há trinta e cinco anos e que fazia o que bem entendesse. Por outras vezes, em horários diferentes, senti o cheiro e, mal abria a porta, o cara saía correndo.

Sem relacionar uma coisa com outra, eu via, concomitantemente, um vagabundo transitar pelas rodondezas, sumia as tampas dos esgotos, das caixas de telefone dos edifícios, entrava nos prédios e levava os metais.Por duas vezes levou as telas da minha parabólica, o alumínio que estava no meu quintal. A PM não atendia os chamados.

Nos últimos quinze dias,ainda sem que eu ligasse uma coisa e outra e sequer pensasse nelas, o sujeito dormiu na soleira da porta do prédio em frente à minha casa.Dormia às  vinte e três e ia embora às sete.Eu só fiquei sabendo quando meu filho o viu em um fim de semana. Chamei a polícia, telefonei trocentas vezes e ninguém apareceu. Quando ele foi enxotado por quem manda no prédio, passou a dormir em frente a uma casa no começo da rua.A dona da casa, descobriu e disse-lhe meia dúzia de desaforos.Foi então que, na noite deste fato, ele subiu no meu telhado com alguma ferramenta e cortou as hastes da minha antena parabólica.Desta vez levou todo o alumínio.Só faltei ter um troço. Chamei a PM para fazer o BO e perdi a tarde porque só fui atendida às quinze  horas.Vasculhando os lotes descobrimos suas tralhas. Pusemos fogo em tudo.Fui à polícia civil e, pasmem, eles sabem quem é o ladrão, sabem o que faz. É homem natural da cidade, conhecido por drogar-se desde adolescente. O pai o colocou na rua e ele, hoje, fuma crak. A irmã o protege e ele, ainda, é uma pessoa limpa.Então, deu-me um
insit : Ele é  o mesmo homem que nos atormenta há tanto tempo..Ele disse para a vizinha que ninguém o prende, nem a Marinha, que ele faz o que quer na cidade. Fiquei sabendo , pelo investigador da Delegacia de Patrimônio que seu nome é Denis. Ainda, por cúmulo dos cúmulos, o incompetente me disse que o inútil só furta coisas de pequeno valor e, portanto, não dá em nada. OK, minha parabólica, só a saia, vai ficar em trezentos e cinquenta reais, fora a adrenalina que eu queimei todos estes anos, pronta para entupir minha aorta. Realmente é baratinho! Minha vida é um inferno com este cara, tentando entrar aqui em casa, andando no telhado, forçando as portas com ferro, deixando marcas, roubando meu quintal, minha paz há oito anos sem que ninguém faça nada.

Resumindo : Supitei. Minha cabeça ficou a mil, tentando resolver a compra do pedaço furtado da antena , aproveitando a haste e receptor e tentando que a polícia registrasse a ocorrência. Nem o Delegado nem o Comandante da PM estavam na cidade.


É demais ! Terça-feira vou a Vitória falar com o Secretário de Segurança.Oh, se vou! Mesmo que não dê em nada.Senão, morro de raiva....

É ele ou eu...


5 comentários:

Carlos Medeiros disse...

Chato uma situação dessa. O vagabundo faz o que quer e a polícia nada faz.

Jota Effe Esse disse...

Magui, as "otoridades" não perdem mais tempo com nada abaixo de um mihlão! Compra um estilingue, e manda pedradada no cara! Meu beijo.

Miguel disse...

E o Denis continuará com sua atuação minha cara, a polícia em algum momento até poderá levá-lo e dar-lhe uma dura, mas o cara voltará, já tive problemas com gente assim. Há uns vinte anos aproximadamente e cansado com inúmeros furtos em minha casa, inclusive por gente semelhante ao tal do Denis, eu a vendi e comprei um belo de um apto, acabaram-se aqueles problemas, hj existem outros pequenos típicos de um condomínio. Parece um ato covarde se desfazer de um imóvel pelos motivos citados, porém a inoperância das autoridades foi o grande motivo que me fez tomar tal atitude. Até minha cara.

Maria Inês disse...

Tenho receio que este bandido ataque vc ou sua casa. Não há jornal local para vc fazer denúncia , ou uma estação de rádio? No jornal Estado de Minas há uma seção com o nome "Grita geral " onde se pode fazer denúncias deste tipo. Temos tb a rádio Itatiaia . É só chamar que os repórtes aparecem.Cuidado!!!

Magui Só disse...

Apenas para atualizar esse texto, publicado em 2011:

O cara roubou um portão de alumínio em pleno dia, foi preso em flagrante e preso. Soube que ele foi solto. Aina, foi preso em outras ocasiões. Do meu lado , fui com um grupo de pessoas até a delegacia, levei um texto assinado pela vizinhança, fui ao Corregedor, ao MP estadual onde fiz uma denúncia anônima. Ele acabou condenado e preso. Soube que foi morto dentro da cadeia. Não sei se é verdade mas o que sei é que ele sumiu. Hoje não tem mais ladrão pela nossa vizinhança.