quarta-feira, 31 de agosto de 2011

MMA , a barbárie está de volta

A babárie está de volta.Quando pensamos que os esportes violentos acabaram, retornam com tudo. Um bando de homens com QI baixo, mal sabendo se expressar, colocar uma idéia em frases completas, retorna promovendo lutas violentas. Alguns  com a finalidade de ganhar dinheiro sobre outros, e, estes como única forma prevista por seus cérebros com neurônios atrofiados.

Um campeonato de porradas, socos, ponta-pés e cheirabundas foi feito  no Rio de Janeiro. Uma cidade violentíssima e com alto grau de trogloditas à procura de brigas nas ruas, portas de escolas, praças e portas de boites.
O auge do box nos EUA foi praticado pela primeira geração de imigrantes irlandeses, italianos e negros. Foi uma forma de ganhar dinheiro desde que só podiam optar entre a marginalidade simples  e o crime.

Agora, brasileiros aderem à uma classe de estadunidenses fortíssimos e resultado do desemprego daquelas bandas. E, pior, jactam-se como se fosse vantagem porque dominam o bate-estaca. São gente boa? São.Procuram destruição dentro do tatame ? Sim. Mas são péssimos exemplos para uma massa estúpida, vadia e com a incapacidade de entender que não se exercita este esporte ( !? ) nas ruas. O resultado para estes microcéfalos é a briga marcada, entre torcidas de times nacionais, com rivalidades insufladas por programas esportivos e autoridades ineficazes.

Agora é tarde. Já começam a morrer jovens, jogados mortos nas vielas, nos rios pútridos, nas calhas das cidades grandes.Não é coincidência que, logo após o campeonato de vale tudo, mostrado  à exaustão para estes cérebros de barata,  tenham pipocado confrontos com mortes em várias cidades brasileiras.

Mas, o mais ridículo é uma mulher, em um enterro cheios de machos exalando testosterona, fazer discurso feminino pedindo que esta malta de imbecis raciocinem e não briguem por times de futebol.

Outra vez a lengalenga da falta de educação em casa e filtro na televisão, proibindo qualquer transmissão de violência. Além de ficar longe do agarra-agarra masculino com espirros de sangue, uma das coisas mais feias mostradas pelos ecrans. E tem gente que ainda paga para ver!

E, quando eu vir a notícia de morte de um destes estúpidos, vou dar de ombros porque antes ele do que eu. Espero que não tenham reproduzido antes de morrer.

                           ++++++++++
Há muito mais no mundo do que nossa vã filosofia.
Duvida? Então KLIKA



terça-feira, 23 de agosto de 2011

Deixem eles com os terremotos

O tempo por aqui, queiram ou não os catastrofistas, não tem mudado patavina. Talvez a ventania tenha sido menor porque, este ano, não choveu pelas gretas das telhas.
Já notei que depois da ventania, chove fininho e só chove pra valer dias depois. As sementes espalhadas pelo vento brotam e tudo se refaz. Aqui, a mata é refeita sem cerimônia. A natureza não sabe que não é para brotar o mato carpido mes passado.

O tempo passa e tudo envelhece mas saudade do tempo, só os humanos.



domingo, 21 de agosto de 2011

Metralhadora giratória

Nós, blogueiros há mais tempo, sabemos que blogs estão fora de moda para a massa ignara. Continuamos porque gostamos de escrever. Uma vantagem dessa horda passar longe dos blogs é que sumiram as ofensas nas caixas de comentários. Aquele povinho  que usava o anonimato para ofender, cuspir para cima, bandeou-se para outras plagas da internet.

Dizem que, por lá, a coisa é feia. Brigam como se fosse ring de luta livre.Não sei como funciona pois nem penso em ter gente me seguindo e dando palpites na minha vida. Depois, podem surgir pessoas que interpretam  textos como  caso pessoal e posicionam suas baterias giratórias contra quem está passando sem noção do perigo.
É um alívio ficar livre dessa gente que quer tornar-se amiguinho, liderar bestunto, deitar cátedras medíocres copiadas alhures. 

Nunca achei bom censurar comentários. Acho importante quando alguém comenta o texto,expõe suas idéias , é como um diálogo.Mas o medo de comentar é tão grande que a maioria não comenta mais. Continuam os que comentamos em seus textos e que, por gentileza, retribuem. 

Assim , internet pode ter milhões de usuários mas continua terra de ninguém.

quarta-feira, 17 de agosto de 2011

Homenagem Elvis Week : O Beijo

                       
Estou tão perdida nas minhas coisas que esqueci de fazer a minha homenagem ao Rei nesta Semana Elvis. Talvez  , também, tenha perdido a vontade de comemorar porque papai resolveu morrer, justamente,  no mesmo dia , 16 de agosto. Papai implicava com Elvis, tem um monte de histórias das implicâncias dele comigo, no tempo em que os pais mandavam nos filhos,e, mal posso crer na coincidência das datas. Papai ficou em coma e esperou chegar o dia 16 de agosto.Como a gente pode entender estas coisas? Desde então acho que homenagear um e deixar o outro de lado não pode ser. Pai ciumento é dose!

Eu queria comentar com vocês o seguinte: Em  30 de junho de 1956 enquanto Elvis esperava condução para fazer um show em outra cidade, um fotógrafo profissional ( Alfred Wertheimer) tirava fotos dele e do que fazia.E, no lusco fusco das coisas,  Elvis aproveitou para ficar com uma moça lindinha.O fotógrafo, acompanhando os dois, tirou fotos memoráveis. Entre elas, uma ficou famosa e recebeu o nome O Beijo.(  Eu nunca gostei da foto, talvez, por ter herdado o defeito do ciúme paterno. Grrrrrr ! )

Nunca mais eles se viram e ninguém sabia quem era a moça. Pois, cinquenta e cinco anos depois, a neta desta mulher a fez divulgar quem  era ela. Ela procurou o fotógrafo e identificou-se como Barbara Gray. Contou o que se passou naquele dia. Não quer nada a não ser ficar conhecida como a moça das belas fotos tão marcantes. Ela disse que não sabia, na ocasião, quem era ele e quis apenas divertir-se. Ainda bem que as moças estadunidenses sempre foram ousadas.O tempo passou e não sei se ao identificar-se perdeu-se um pouco da magia.


Quer saber mais detalhes? KLIKA
Ou em inglês do site Elvis, da Austrália ? KLIKA



sexta-feira, 5 de agosto de 2011

Caiu do cavalo

O Velhaco, conhecedor das vaidades humanas, das quais ele também é protagonista, deu corda para Nelson Jobim, Ministro da Defesa. Alimentou a megalomania do homem, dizendo que ia comprar aviões supersônicos, construir navios atômicos, o escambau. Foi cozinhando a certeza do cumpanhêro com o riso no canto dos olhos. Mudou o governo e Dilma cancelou tudo.

Desde que os EUA perderam dinheiro em guerras árabes , devendo a todo mundo, o Brasil também perdeu um pouco da paranóia. O bastante para adiar a gastança. Mesmo porque o tipo de guerra, hoje, é outra como  se viu no ataque aos computadores das fábricas de energia radiotiva  do Irã. Talvez seja melhor selecionar os jovens de dezoito anos pelas habilidades em invasões nos computadores alheios do que pela saúde física, necessária para ser bucha de canhão.


Nelson Jobim é de uma geração que tem dificuldade em digerir os novos tempos, ciente de sua sapiência e inteligência superior, quando confrontada com estas mulheres que tiveram a petulância de ultrapassar as barreiras da discriminação cuja geração do ministro , ainda é detentora. Infelizmente para ele,  se a mulher fala muito, conforme ele disse, é porque o seu cérebro tem maior desenvolvimento na área específica. Pior para ele que falou demais e caiu do cavalo pois quem manda soltar a burra não tem mais as vaidades dos fofoqueiros de plantão.


Tá por fora? Então, klika