quinta-feira, 20 de outubro de 2011

Gaddafi já era

Foto tirada do UOL
Eu me lembro quando Gaddafi derrubou a dinastia monárquica  líbia e tomou o poder. A Líbia era uma miséria medonha, apesar do petróleo já ser, fartamente, extraído.Logo ele transformou a Líbia, aplicando o dinheiro do petróleo na educação, moradia, progresso da indústria, etc. Levou água doce para o deserto, em obra fantástica mas necessária para a sobrevivência do povo, e conseguiu produzir alimentos para deixar o país menos dependente dos estrangeiros.O PIB da Líbia é superior ao do Brasil.

Eu tenho uma biografia dele, que comprei naqueles tempos. Conta como decidiu lutar contra a Inglaterra, a maior exploradora da Líbia porque ele estudou naquele país.

Entretanto, com o tempo, sua revolta empanou sua inteligência, fez nascer a vaidade, transformou o líder em ditador , terrorista internacional e , como sempre, em verdugo de seu povo.

Agora, depois de quarenta anos, é deposto pois a modernidade e a  informação obtida fora das garras do poder do ditador, fizeram com que o povo reagisse a tanto desmando,autoritarismo à beira de uma doença grave.

Os estudiosos da mente humana precisam divulgar estudos, para gente comum, sobre este tipo de cérebro. Homens lideres naturais, com carisma e poder pessoal, começam com boas intenções. Com o tempo, avançam sobre os direitos do povo por julgarem-se responsáveis pelos destinos do país como se não houvesse mais ninguém com capacidade para tal. Fazem da nação seu curral de déspota.

A história está cheia deste tipo de gente, mas uma divulgação dos sintomas deste tipo de cérebro precisa ser divulgada , na tentativa de fazer com que menos populações paguem o preço por acreditar nestes ditadores.

Em tempo: Fazendo as contas , me admiro comigo mesma por, com idade tão tenra,ter acompanhado estes assuntos e , até comprado livreto, para me informar melhor. Mal posso crer que fiz isto à vista de uma juventude que está mais preocupada em lantejoulas inúteis e pessoas caça-opiniões contrárias, para retalhações,  nessa nova forma de informações como é a net.

4 comentários:

Fábio Mayer disse...

É aquela triste sequencia histórica. Magui:

Hitler também foi um realizador econômico, virou o pior ditador da história.

Os comunistas de Lênin e Stalin também melhoraram muito as condições de vida do povo mais pobre, depois transformaram=se em genocidas.

Getúlio Vargas fez muito pelo povo brasileiro, mas virou ditador e, se o Brasil não tivesse a turma do deixa disso, não duvido que teria apelado para a força para ficar no poder.

Enfim, o poder total mais causa problemas que benefícios, e por pior que seja, a democracia ainda é o melhor sistema que existe...

Engraçadinha disse...

Achei essa foto tão feia!
Mas se informar e tentar entender é o melhor caminho para tentar lutar contra esse tipo de exploração.

bj.

Anônimo disse...

Se o povo líbio tivesse se revoltado, exigido mudanças e arrancado Gaddafi do poder seria correto o mundo civilizado aplaudir.
Mas na realidade o lado negro das forças internacionais (saudades do Brizola) armaram bandidos, infiltraram agentes subornaram generais, políticos e "patriotas subornáveis" e destruiram a Líbia terminando por assasinar de maneira torpe um líder que até ontem era cortejado por berluscones e sarcosis da vida e quem quer que tivesse interesse nas riquezas líbias e no dinheiro que jorrava em direção aos bancos europeus e americanos.
Agora resta a partilha do butim, a parte do povo líbio fica para depois, afinal é necessário reconstruir a Líbia...

Jota Effe Esse disse...

Não só a mente dos ditadores, antes salvadores da Pátria, mas de todos os tipos de eres humanos precisa ser estudada e divulgada, para nosso governo pessoal. Meu beijo.