domingo, 12 de fevereiro de 2012

Paz para meus ouvidos

                             
Morre Whitney Houston. A única coisa que despertava minha atenção sobre ela é ser filha de Cissy Houston do grupo Sweet Inspirations, cantoras que acompanhavam Elvis. Se não fosse pelo filme contracenado com kevin Costner, nem saberia quem  era ela.

O estilo de sua voz, semelhante a de sua tia Dionne Warwick,tinha o diapasão não compatível com o martelo e a bigorna do meu ouvido interno. Ela foi inspiradora de tantas cantoras estadunidenses e que  não fazem nenhuma falta para meus ouvidos.

Não é a primeira nem a última a desafiar a vida, versus a morte e perder. Se  sumirem suas discípulas, enquanto der tempo para eu viver, inclusive no Brasil, que vá com Deus. Só de pensar nela, cantando em plenos pulmões, me dá ânsia de vômito.


4 comentários:

Micha Descontrolada disse...

já leu aquele livro do Elvis? ia gostar, é bem legal.

Beijosssssssssssssssss
┌──»ʍi૮ђα ツ

Carlos Medeiros disse...

A música tema do guarda-costas é muito bonita.

Engraçadinha disse...

Sinto discordar querida, mas a voz de Whitney se tornou tendência nos anos 80. Qdo ela chegou a fazer o filme, já era consagrada no mundo todo e foi justamente por isso q chegou a filme.
Infelizmente como tantas outras e outros, ela se perdeu de si mesma e a máquina do dinheiro e da mídia roubou-lhe a essência. Além disso, se meteu c pessoas mto erradas. Enfim... Muito triste. Tal como foi c Elvis.

Fábio Mayer disse...

Não gostava da mania dela de parar a música e gritar a esmo, como, aliás, é estilo de uma parte das cantoras norte-americanas, como Cristina Aguilera e Mariah Carrey.

Mas é pena que com a fama, tenha se perdido nas drogas e no álcool... por mais que não gostasse do que ela cantava, o fato é que tinha talento para o gosto americano...