sábado, 9 de março de 2013

A morte de Chorão

                              
Morreu o cantor Chorão. Não faz parte da minha trilha musical mas sempre achei interessante ouvir no supermercado:
-Eu vou fazer do jeito que você nunca vai esquecer. 
Perguntava-me quem era aquele maluco.

Mas, deve ter feito mesmo porque sua mulher anda falando horrores dele, depois de sua morte.
A madame, em vez de ficar calada, dá entrevistas aqui e ali, contando o que lhe interessa sobre os últimos meses de vida do cantor. O que lhe interessa, porsuposto. Parece que quer desculpar-se  por ter sido ausente no último ano de vida do cantor. Nada a ver. Ninguém é obrigado a ficar com quem faz o que quer na vida. Ainda mais  com quem sustenta  a violência no país e se dá com razão.

Tenho impressão que anda falando demais. Pelo menos devia respeitar o cara que não está mais aqui para responder. Deve ser por isso que o irmão do cantor quis agredir a fulana, no velório do cara. Estas mulheres passam dos limites de manter o respeito aos seus homens.

6 comentários:

Nanda disse...

No final das contas, não vamos saber o que realmente aconteceu. De qualquer forma, muito triste; em especial pela forma que ocorreu. Magui - tem novidade na caverna; minha versão 'avatar' te aguarda. Inté.

Maria Eugênia disse...

Texto fantástico Magui! Sua maestria em articular as palavras mostrou-se perfeita neste texto. Nada a comentar!

Claudete disse...

Como sempre Magui você escolheu as palavras certas, de que vale comentar publicamente o que se viveu na intimidade? Se a família biológica não comenta ...Então "Cala a boca Batista". Infelizmente a curiosidade da maioria é mórbida, minha filha caçula que nasceu quando a banda surgiu era fã do cantor , tanto que a noticia da morte foi dada por mim , ela acompanha sem estardalhaço e passei a curtir algumas músicas por causa dela. Abraços, Magui.

Jota Effe Esse disse...

Palmas pra você, Maqui, que vem a público defender a memória do rapaz. Essa mulher tá mesmo falando demais! Meu beijo, e obrigado pela visita ao meu cantinho.

Engraçadinha disse...

Uma pena eu não ter acompanhado então, porque até onde vi, ela só falou acho q no dia do velório, de dentro do carro quando os repórteres mal a deixavam passar.
Não sei se ela foi a algum programa de entrevista e meteu a boca no trombone.
Fato é, viver com viciado em drogas pesadas não é mole, no entanto, considero um ato de mesquinharia tentar sujar a memória de um morto, pessoa pública e amada do jeito q ele era.
Fica feio pra ela.

Anônimo disse...

Fala mau dele, mas o dinheiro ela aceita. Como pessoa ele era um merda, mas é esse merda que vai garantir estabilidade e segurança para o resto de sua vida. Tremenda falta de respeito com a pessoa que morre e deixa a viuva em situação de conforto.