sexta-feira, 31 de outubro de 2014

Um ícone, um imortal

                                   
KLIKA 

Belo Horizonte / MG, nos fins dos anos sessenta,princípio  dos setenta, estava infestada de bossa nova e roquinho ieieie. Elvis era como se fosse proibido tocar pela ditadura. Recusei-me a aceitar os chatíssimos Beatles. Até hoje tenho arrepios quando ouço o , para mim, insuportável Chico Buarque. Preferi bandear-se para a música clássica e  conheci, pessoalmente, vários pianistas da época mas meu preferido era Arthur Moreira Lima e suas performances de Chopin. Minha coleção de discos clássicos ficou ótima pois , ganhei a coleção da Tia Mimita quando ela morreu. Ela tocava Chopin, no seu piano preto de meia cauda, enquanto eu lia Casimiro de Abreu. 

Então fui para o Projeto Rondon - 5, Itinga,  no sertão de MG. No fim da tarde, o pessoal reunia-se na frente do hotel para cantar enquanto a poeira assentava-se no chão e o cheiro do curral chegava nas narinas acostumadas. Para mim, era a concretização do que eu ouvira falar. Tudo absolutamente novo. Um anão tocava um violão, que ele mesmo fizera, com cordas de pescar.Um sertanejo marcava o ritmo com duas colheres voltadas uma para outra e batidas na mão. Não cantavam bossa nova nem os acordes de Tom Jobim e Vinicius, unanimidade nos meios intelectualizados e empafiados do sudeste. Cantavam Amado Batista e Waldick Soriano. Nunca tinha ouvido falar neles. Mostraram-me os discos. Amado Batista é Roberto Carlos sem as lantejoulas. Mas tornei-me, fã de Waldick Soriano.

Depois, quando andando pela Av. Copacabana, ou N.Sra. de Copacabana, no RJ, onde era infestado de artistas e cantores, dei de cara com Waldick Soriano. Devia ter um metro e noventa, ombros largos, chapéu, óculos imensos  e terno preto, muito elegante. Não sei se era o Sol que iluminava a rua ou era sua figura.Exclamei seu nome e ele deve ter percebido minha surpresa total. Parou, sorridente, e, quase cai quando ele deu-me  um abraço. Uma figura fantástica, imensa, uma presença iluminada que eu jamais me esqueci.

Sou fanzérrima de Waldick Soriano. Faz-me lembrar aqueles dias que passei no sertão.Tenho um seu disco que considero um dos melhores da música brasileira. Nesse disco, no seu lançamento, tem a canção Obrigado querida, que é fantástica em todos os sentidos, na composição da letra e música, nos arranjos, nos solos dos instrumentos , nas modulações da voz do cantor. 

Quando já no fim da vida, gravou um DVD mas sua voz não era mais a mesma porque estava muito doente. A vida passa e leva o brilho da juventude. 

Se eu não tivesse ido ao Projeto Rondon nunca teria conhecido uma parte do Brasil que muita gente insiste em desconhecer . Ou, talvez, discrimine porque não entende, não conhece.

Waldick Soriano fala na sua música o mesmo que Roberto Carlos, Frank Sinatra, Charles Aznavour e , mesmo, Elvis. E, sua voz não fica aquém de nenhum deles. Como eles, é eterno. Noventa e nove por cento das letras ninguém sabe o que diz. Então, se fixar no som como é feito nas músicas estrangeiras, fica ótimo. 

Cantando RC: Aqui
Vingança, de Lupicínio : Imperdível

Nunca ouviu? Tente AQUI ou  Aqui 



quinta-feira, 30 de outubro de 2014

A via dia a dia

                                   
                               


A melhor coisa é o tédio. 
Mostra que a vida está na madorna.
Mas, sempre haverá que lhe venha atazanar .
Aguarde...

terça-feira, 28 de outubro de 2014

A chaga desse país.

                     
            
A educação deve ser voltada para contribuir na formação da cidadania. Aquela em que o nacional sabe distinguir como é formada sua nação e a responsabilidade de cada um, per si, e inserido  na sociedade.
Bater nos Poderes Legislativo e Executivo  é ter olhar zarolho sobre o verdadeiro Brasil. A verdadeira chaga desse país é o Poder Judiciário. Todos os olhos podem estar em cima dos componentes do Legislativo e Executivo. Sabemos seus erros, incapacidades e, mal ou bem, são submetidos a eleição periódica. Mas, por educação canhestra, pouca gente tem noção do que se passa no Judiciário. Não prestam contas a ninguém. Quem convive nesse ambiente e precisa transitar em seus meandros fica enojado. Muitos funcionários do Judiciário, ao aposentarem tem a pretensão de ser advogado. É comum terem um enfarte , pelo menos um ano depois.Quem foi advogado e ingressa nesse meio sórdido, costuma ser  perseguido porque dá  um baile na capacidade de trabalho e organização. Não é interessante  que a máquina ande. É mister valorizar cada ato e cada função para argumento futuro  no pedido de aumento de vencimentos. No vangloriar importância além da estratosfera.

A mídia, pós eleições, debate separações na sociedade, insufla divisão social, cultural, ideológica, política. Enquanto isso, o judiciário entra em feriado, em plena semana, e deixa o povo a ver navios.

segunda-feira, 27 de outubro de 2014

Morderam a própria língua

                                   
- Gente assim, dá medo!


Afinal, Dilma foi reeleita. Não me admira. A campanha do Aécio estava cheio de gente distante demais dos pisos nacionais. Pensar que os engravatados, que nunca andaram de ônibus, saíram para gritar palavrões nas ruas. Lá do Rio. Repercutiu até nas Zoropas. Os pobretões de ontem, avançaram no consumismo para sustentar a economia nacional. E, perder os privilégios para contrair dívidas à vontade, comprando tudo que lhes dá na telha, é um futuro que assombra.
      
Para mim não muda nada. Convivo com um país comandado por quem não dá satisfações ao povo desde que nasci. E, como venho escrevendo nesse blogue, enquanto houver um tipo de brasileiro que não participa, efetivamente, do avanço na construção da nação, que ganha salários muito distantes do piso dos brasileiros comuns, que não presta contas a nada e nem a ninguém, que assaca a liberdade, a democracia, enquanto veste sua toga ridícula e sem noção, nada vai mudar. Nem as ditaduras mexeram neles. O asco que eu tenho dessa gente faz sentir-me mal.

Brasileiros uns contra os outros é resultado do abandono de regiões geográficas, descontrole demográfico e polarização da riqueza nacional. Quem conseguiu fazer um país ilhado para si mesmo, agora paga o preço da derrota. O resto, do meio, vai junto.

Senão? KLIKA ou AQUI

domingo, 26 de outubro de 2014

Eles são assim

                     
         

Ultimo dia de campanha.
Paus mandados  fazendo campanha petralha na rua. 
Portas fechadas na cara deles.
Reação absurda?
Saco de lixo de lanchonete despejado na porta das casas.
Sujeira, tanto qual a roubalheira deles mesmos.


sexta-feira, 24 de outubro de 2014

Os intocáveis

                               

Uma característica intrínseca aos componentes da magistratura nacional é a certeza de fazerem parte do limbo dos intocáveis. A certeza de que merecem pairar acima dos trabalhadores comuns pois o trabalho exercido é mais importante para os céus e terras. Também, devem ser remunerados, no máximo, para exercer a sua função judicante a ponto de não deixarem-se corromper. Quiçá, atrair as melhores cabeças .

Fazer comparação com um professor, um médico, um lixeiro é apodrecer os alicerces da nação. A maioria sequer tem inteligência mas uma memória prodigiosa para guardar leis, teorias jurídicas e meandros que os levem a ganhar cada vez mais.

Eis, portanto, os argumentos usados para ter auxílio moradia, vencimentos muito acima do cidadão que clama por justiça nos corredores dos tribunais. O advogado, ansioso no balcão das secretarias das Varas, pedindo a celeridade que a lei obriga, é um chato que ofende a magistratura.

Um brasileiro que mergulha sessenta metros mar abaixo para fazer parte da extração da riqueza do país nem é reconhecido como profissional, um pedreiro que empilha tijolos ou prega azulejos é gente que merece ficar no fim da fila dos julgamentos. Que esperem.E, calados.

Para esse povo, um médico que salva vidas ou que perde vidas é pequeno demais e, se não está satisfeito, que mude de profissão.

Enquanto isso, o brasileiro tenta viver à sombra de uma camada que não presta contas a nada nem a ninguém e o contempla do alto de seu pedestal.

Salários de professor e juiz deviam ser  equiparados. Serve o argumento para trazer as melhores cabeças. Não vale espantar quem não pode viver de migalhas. Salvar vidas ou perder vidas também é ato de julgamento; médico: KLIKA



quinta-feira, 23 de outubro de 2014

São Jorge e seu cavalo

                                         
Tunel do tempo

O Velhaco ganhou sua primeira eleição para presidente, prometendo cruzar o Brasil com ferrovias. Um amigo meu acreditou e votou nele. Depois, tornou a votar na certeza de que, no segundo mandato cumpriria a palavra. Não cumpriu. Então, Dilma fez a mesma promessa e o bestunto pensou que dessa vez seria verdade. Não foi. Meia dúzia de quilômetros e nada mais. Só para sustentar discurso e não mentir por inteiro.Como se mentira valesse pela metade ou a verdade tivesse duas caras.

Qual não foi a minha surpresa ao deparar com propaganda de Dilma  onde um trem de ferro deslizava em ferrovia bonita. A voz, que narrava o feito, prometia  mais uma vez, que o Brasil não transportaria um grão nos seus caminhões, estrada Brasil afora.

É...  Enquanto tiver cavalo, São Jorge não anda à pé...

Rouba Mas Faz

                             
Do ladrão comum, há defesa
      

Uma camada dos eleitores nacionais não se importa em eleger ladrão do bem  público. Essa gente, inculta e sem nunca ter lido um texto de vinte linhas, quiçá um livro, não capta que, fazer uma ação governamental em benefício da cidadania, é obrigação. Faz parte da função que ocupa. Ninguém deve favor ao governante competente. Em sendo ladrão, desautoriza reeleição. Não entende que, é pior do que o ladrão de rua que lhe rouba o bolso. O cérebro não consegue ligar uma coisa à outra.

Assim fizeram nas reeleições de Paulo Maluf, Garotinho, Paulo Hartung, Edson Machado e tantos outros. É a sedmentação do Rouba Mas Faz, cunhada pelo mega ladrão, Ademar de Barros.

Não acho Dilma , pessoalmente, gente ruim. Não temos notícias se é sem honra. Seu traseiro aparece porque abaixa-se demais para o Velhaco, a quem deve o cargo que ocupa. O mal é que não controla os petralhas por não ser, de origem, do PT.

Reeleger gente que obedece batuta dos petralhas é votar em quem Rouba Mas Faz. É o mesmo dessa gente que fuma um ervinha manêra, cheira um pozinho básico  mas exige que o limite de punibilidade do menor de idade  seja de dezesseis anos.

Essa é boa! KLIKA

quarta-feira, 22 de outubro de 2014

Siriema, somos todos natureza

                                       
Foto: tirei   DAQUI
                                         


Como se não bastassem dezenas de espécies de aves transitando no meu jardim, na rua e pousando nas árvores, nos telhados e fios, identifiquei mais um essa semana. Não tirei foto, ainda, mas quero registrar a capacidade dos moradores de Guarapari em não tocar nos bichos. A preservação, o cuidado, a atenção na oferta de frutas é evidente. 

O IBAMA recolheu a paca que apareceu no vizinho, os filhotes de gambá. Embora o cachorro de outra vizinha tenha matado um gambá, já vimos outro transitando madorrento, de um lado para outro. 

A novidade é o canto plangente da siriema .

segunda-feira, 20 de outubro de 2014

Parabéns Pelé !

                                    

Na data em que se comemora o aniversário do Pelé, quero juntar-me às homenagens que lhe são prestadas. Desejar Feliz Aniversário!

Um brasileiro de sucesso. Viveu as intempéries da vida sem fazer drama, sem fazer-se de vítima, sem derrubar ninguém. Nunca dobrou-se a nada , nem ninguém. Entrou e saiu pelo mundo sem dar vexame, sempre altaneiro.

Jamais igualado, fazendo jus ao título de Rei do Futebol.

Parabéns Pelé ! Que tenha muita saúde e paz.

Genial : KLIKA   



E, quem se importa ?

                               
Palacete do meu avô materno em BH: Derrubam tudo. E, quem se importa...
 

A campanha política para cargos majoritários continua. Onde o povo não decidiu no primeiro turno, repeteco e gastança no segundo.
Para presidente da república, dois candidatos fazem dos debates torneios . Compromisso com a palavra? Nenhum.

Enquanto isso, o Poder Judiciário decide dar Auxílio Moradia para os juízes. Não importa se eles moram na comarca e tem casa própria. Poderia ser justo atender a demanda daqueles que se deslocam de uma comarca para outra. Mas não justifica a quantia de quatro mil e quinhentos reais na conta , todo fim do mes. E, não se justifica porque não trabalham para isso. A verdade é que só trabalham um horário, em audiência eivada de arrogância e abusos. Sentenças são dadas sine die. Antigamente , nem haviam computadores e eram dadas em audiência. O sistema os protege e a mania de dizer que tem processo demais vira um círculo vicioso. Quantos não buscam a justiça porque a lerdeza não atende o direito? Quantos ganham mas não levam?

O estado brasileiro paga procuradores para levar os processos por décadas a fio. Pagar os débitos? Nem pensar. Essa gente que o eleitor acha que elege para uma boa administração a favor da cidadania é corja de única quadrilha, igual entre si. 

No Brasil não existe democracia enquanto o Poder Judiciário for a pantomima que é. Podem eleger quem for. Os senhores da toga são como os senhores do tubante  de metralhadora na mão. Matam sonhos, direitos, futuros e só se preocupam com a grana no fim do mes.  

Quem se atreve a ligar o estado com seus executivos da maracutaia com a mesma corja do judiciário? A responsabilidade é a mesma mas , apenas no judiciário, os doutores trabalham meio horário. A democracia que se dane!

Melhor é desanuviar : KLIKA

segunda-feira, 13 de outubro de 2014

Cabeças cortadas pelos britânicos

                              
A notícia sobre a identificação do cortador de cabeças do Mundo do Turbante é importante, porque mostra ser um europeu, um britânico. Não foram os barbudos  muçulmanos.

Parabéns para o serviço secreto dos EUA. Não há surpresa alguma. Com o fim , da pirataria institucional, dos Templários, das Cruzadas, das exploração das colônias e dos Hooligans, restou aos ingleses cortar cabeças no Oriente Médio.

Pensar que essa gente quer nos ensina alguma coisa!

Não leu? KLIKA

Fortalecer a democracia ?

                                     

O denominado Ato Falho é uma das teorias mais interessantes da psicanálise. Com base nela, noto que Dilma, em sua campanha, fala muito em manter a democracia, em desenvolver a democracia, em fortalecer a democracia.
Desde quando comunista em busca da implantação da ditadura do proletariado, cuja característica marcante é jogar uma classe contra outra, um segmento social contra outro e distrair o povo do foco principal,  preocupa-se com a democracia?

Pelo que sabemos da história, esse tipo de ditadura é o pano de fundo para  ferir a liberdade, calar o povo, manietar consciências, embotar espíritos e inteligências e perpetuar-se no poder. Quando essa ferida é lancetada, espocam atos autoritários, abusos de direitos e burras dos companheiros cheias do dinheiro público.

Falar  muito em preservação da democracia onde não se tem notícias de atos que a maculem, é ato falho. Periga ser intenção e não tiro pela culatra.

domingo, 12 de outubro de 2014

Meu presente para Dia da Criança

                                  

Da Suécia vem o meu presente especial para o Dia da Criança.

Quando passa o anúncio da Trivago, não mudo de canal.

Aqui o presente: KLIKA
Aqui o anúncio: KLIKA

Feliz Dia da Criança !

sábado, 11 de outubro de 2014

Batendo o pé

                                    

Quando leio o comportamento de Marina Silva pós  primeiro turno, agradeço os eleitores que não votaram nela. A mulher é um engodo total. Se tivesse ganho o Brasil estaria nas mãos de  uma pirracenta. Até o rito labial é de pirracenta.

Nos últimos quatro anos, talvez mais, a camarada nada mais foi que espectadora dona de casa do andamento político. Eu também tenho muitos achismos mas nenhuma condição ou estrutura política  de ser presidente de uma nação tão complexa e grande. 

Ao negaciar apoio, participação e, consequente decisão para o segundo turno das eleições presidenciais,  mostra sua incapacidade de ser presidente do Brasil. Não é nada, representa uma expectativa de poder, e  já põe banca, exigindo e comercializando seus interesses.

Se ganhasse, a primeira coisa seria sair do partido do qual é chupim. Deus é brasileiro e livrou a nação de uma aventureira sem lastro , com condição de ser mera parlamentar de oposição. Pois na oposição fala o que quer sem compromisso com a palavra.



Verdade encoberta

                                      

Na sua campanha, Dilma alfineta o candidato opositor, dizendo que o Brasil cresceu no governo petralha porque são formidáveis. Esquece de dizer que o crescimento é consequência do sucesso do Plano Real . E, esconde que os petralhas foram contra a MP que o criou. Obstruiram pauta, fizeram banzé, confiando que a MP cairia por decurso de prazo. O Plano Real já era sucesso e corria solto mas os petralhas queriam a fuzarca econômica, a bancarrota econômica nacional. A essa gente não interessa os fatos mas a sua versão.

Os petralhas não contam que, o maior Velhaco nunca visto na história desse país, manteve a política econômica do governo anterior e que o cerne das bolsas do governo estão nas ideias , implantadas, da mulher de FHC e propostas do Toninho Malvadeza. Não tem um dedo dos petralhas.

Dizer que o pulular de denúncias por corrupção contra os petralhas é busca pela honra nacional, beira o cinismo. Corrupção não se insinua. A ladroeira foi tanta que os próprios participantes ficaram enojados. Acabaram optando pela delação premiada e entregar de vez a Quadrilha cujo Alibabá é o Velhaco, corrompido até a alma vendida para o Encardido.

sexta-feira, 10 de outubro de 2014

Não invista dinheiro em imóvel.

                                  

Aplicar dinheiro em imóvel é faca de dois gumes. Se for para sua moradia ou aproveitar estadia no campo, na praia ou em lugar que costuma ir, vale à pena. Mas, se for como simples aplicação de dinheiro, é bom fazer análise detalhada. Décadas atrás comprar imóvel, como aplicação de um dinheiro à mais, era  saída contra a inflação. E, não haviam planos ou fundos como apareceram depois do Plano Real. Os bancos, com o governo de FHC, receberam legislação para proteção daquelas falências bancárias que comiam nosso dinheiro.

Meu pai comprou duas salas, na planta, no Centro e Belo Horizonte, nos anos sessenta. Com o aluguel só teve raiva. Uma época foi a inflação comendo o aluguel, dentista que arrebentou com o piso, instalando porcaria para arrumar o gabinete. Ele dizia para nunca alugar sala  para dentista pois não havia justiça para mandar arrumar tudo como estava. Vendemos as duas salas , como herdeiros e ainda no inventário, em 2005. Estou sendo processada porque o comprador não fez a averbação da compra e não paga o condomínio. Irei a BH em viagem, viajar em uma noite, fazer a audiência, voltar noite seguinte, pagar advogado, despesas com viagem.

Em Vitória/ES tínhamos uma casa no centro. Estava no nome do meu marido.Ainda no inventário, vendi a casa em 1990. Ano passado recebi citação de execução do IPTU, cujo autor era a Prefeitura de Vitória. Tive que gastar com Certidão, gasolina e muita raiva. Se não fosse advogada, ainda teria que pagar um.

Com a parte que meus filhos herdaram juntei uma quantia minha e fiz doação para os dois, de um apartamento em Vila Velha/ES. Quem morava era meu filho caçula com a mulher e filha. Ele separou há dois anos e a vagabunda mora no imóvel, não devolve para meus filhos e ficamos sabendo que ela está dilapidando tudo, vendendo os móveis, colocando amantes lá nos fins de semana. Só sairá com ação própria com final a perder de vista. Consegui, na justiça, que ela pagasse o condomínio na ação de divórcio . Meu filho pediu aluguel mas ela não pagou. Outra vez o judiciário com a letargia regida pelo capeta. 

Então, cuidado em comprar imóvel. Pode não valer a pena. Quem vive largado, sem saber gerir o próprio dinheiro, está de olho no que você adquire, para levar vantagem. Sobra para você o transtorno, a raiva e o deusdará.

Com a criminalidade de Belo Horizonte, estou com medo de ir lá para uma audiência onde será entregue a contestação e documentação, provando que não tenho nada com débitos de terceiros. Como se o Brasil fosse  do tamanho de Portugal. Imagine se eu morasse no nordeste ? 

Diga-me com quem andas...

                               
           
Mesmo que Dona Dilma seja bem intencionada, tenha tentado fazer sua própria trajetória, ela anda muito mal acompanhada.  Ela não é, de origem, uma petista.Veio bandeada do PDT, partido a que o pai de sua filha pertence. Trocou de partido por conveniência como tantos outros políticos . Por isso, alguns petralhas tiveram e, talvez, lhe tenham alguma restrição. O fato é que ela está engessada e sem controle sobre os petralhas de carteirinha que usaram e usam o dinheiro público para enriquecer. É dois de paus.

Tem um filme de Costa Gravas, de nome O Capítal, onde no final o personagem escolhido para presidente do banco , depois de várias manipulações do sistema capitalista bancário, diz:

-Eu sou o Hobin Hood às avessas. Tiro dos pobres para dar aos ricos.

É aplaudido freneticamente pelos acionistas e diretores do banco.

Para os petralhas, o Brasil é um banco e eles os acionistas.

Dona Dilma: 

- Diga-me com quem andas e dir-te-ei quem és.

Para quem que não se importa: KLIKA

quarta-feira, 8 de outubro de 2014

Arranhão na propriedade privada

                                    
Comprado por Argentino, pivô de abuso legal

O governo petralha decidiu, através de Dona Dilma e seu decreto, que  uma obra de arte é patrimônio público. Assim, o proprietário fica vedado de dispor dela. O carimbo de obra de arte, protegida pelo estado, com perda do uso e gozo da propriedade privada é aposto em decisão de algum assecla do governo.

Vale dizer que, se algum bobalhão emprega seu dinheiro na obra de arte, só pode vender com autorização do governo federal. Se vender para as estranjas não sai do país.

Mais que dispor de um direito constitucional que protege a propriedade privada é um tentáculo do estado incompetente que possui um Poder Judiciário letárgico e indiferente à aplicação da lei.

O governo petralha adoça  a boca dos miseráveis com esmolas que permitem fazer dívidas até a terceira geração e vai comendo pelas beiradas quem sabe gerir seus dividendos e prevenir o futuro.

Conheço gente que não dá um tostão por quadros ou qualquer artefato de enrosco e morre de rir daqueles que empregam sua grana naquilo que os abutres petralhas estão de olho.

O que importa é essa corja, comendo pelas beiradas, incentivando a construção e compras de imóveis como forma de gerar emprego e poupança. Mas pronto para , em uma canetada, tomar sua propriedade na cara de pau.

E, o Poder Judiciário só vai manifestar-se se alcançar algo deles. Do contrário, é só caras e bocas, cara de paisagem e togas ridículas.

segunda-feira, 6 de outubro de 2014

Somando não dá

                                   
Em análise do mapa dos resultados eleitorais para presidente da república , dificilmente Dilma perde as eleições. Na contagem do número de eleitores fica difícil somar a favor da vitória de Aécio. 

Senão veja : KLIKA

A menos que Pernambuco decida.

Eleições de onde?

                                  
Candidatos indicados como fraudadores do dinheiro público foram eleitos. Alguns processados. Sentença? Só no binóculo... Ocorre que o Poder Judiciário dorme de touca. Seus integrantes não tem nenhum compromisso com o Brasil a não ser receber seus poupudos vencimentos. Não são eleitos. É fácil responsabilizar o povo. Ele não tem rosto!

domingo, 5 de outubro de 2014

Ex brasileiro faz fila para votar

                                  

Tem ex brasileiro, isto é brasileiro morando fora, com dupla nacionalidade, votando nas eleições. De longe esculhambam com o Brasil e tudo que nos diz respeito. Tentam esconder suas identidades de brasileiros no fundo do bau, moram há mais de uma década fora do país e vão votar. Para que, cambada?

Já não basta a falta de alguns nacionais, morando por aqui, sem comprometimento com a nação,  vontade de participar na construção de um futuro, sentirem-se incomodados por precisar votar. Será que, por mandar uns trocados para a família, comprar imóvel super faturado em vez de bancarem suas vidas nas estranjas, sentem-se melhores brasileiros do que são?

Nada disso. Acontece que no estrangeiro uma pessoa não perde o rastro até a quinta geração. Não os deixam esquecer que se mudaram. Que o Brasil ficou para trás. Por lá, a identificação da origem é a primeira coisa a ser feita em todas as ocasiões. Quem paga o pato somos nós, ofendidos com epítetos na primeira chance porque não podem cuspir em nossa cara.
Vá! KLIKA

Tá: KLIKA

sábado, 4 de outubro de 2014

Degolas e degolas

                                
E, com uniforme, método e cabeça apoiada para foto !!!!!

As degolas de cidadãos estadunidenses, continuam pelas arábias. Jornalistas abelhudos, circulando na terra do inimigo. E, que inimigo! Do  olho por olho.

Gente, metendo o bedelho na casa dos outros. Fofoqueiros modernos substituem os leva-e-traz de antigamente. Como se ficar bisbilhotando tiros e mortes mudasse algo. Não havia nada disso no tempo de Napoleão e , nem por isso, o resultado foi outro. Ninguém filmou Nelson e, mesmo assim, ele foi julgado e executado.

Já surgem nos EUA formadores de opinião, defendendo a não intervenção dos povos. Mas para os EUA seria preciso depender menos do ouro negro. Que o tacão dessa gente, paga pelo povo e cobrado, na volta, com seus surtos psicóticos, não passeie por aqui.Destruir o Iraque não conta. 

Uma amiga disse que seu marido foi fazer curso em São Francisco/ EEUU, recebeu convite para trabalhar. Semana passada, sofreu discriminação no saguão do hotel por funcionário negro. Por lá,branco discrimina negro e este, por sua vez, discrimina latino. Tudo bem dividido na cabeça dessa gente. Degolas são degolas, desde que não seja tudo filmado.

Tomara que o marido da minha amiga não volte influenciado por gente que não se mistura nem em pensamento. Árabe é só gente de turbante  que atrapalha o bem bom do império e brasileiro é vagabundo que adora dançar carnaval o ano todo.

Holaaaa!  KLIKA

sexta-feira, 3 de outubro de 2014

Debate político e o jogo de cena

                             
Pau-brasil:Espero viver para ver, o que eu plantei, dar flores

Debates políticos são necessários. Em qualquer lugar. Na televisão deviam ser com tempo maior para respostas e conter menos peguntas. Não podem ser como provas de múltipla escolha com resposta rápida. Precisa valorizar raciocínio completo e o candidato mostrar a que veio. Pelas análises dos debates para presidente, percebe-se que estratégia política ficou mais importante que a verdade da fala.

Não acompanho debates desse tipo. São absolutamente previsíveis para quem tem rodagem nessa estrada. Servem como o frigir de ovos. Quem acompanha a política nacional já sabe quem é quem. E, pelo que procuro saber nas ruas, onde puxo conversa aqui e ali para trocar idéias e clarear as minhas, o povo não tem dúvidas de quem são os candidatos.Os eleitores incorrem nos erros e vícios de vontade, sabendo o que estão fazendo. Sabem das estratégias do voto para o primeiro e segundo turnos. Sabem que, o que irá decidir são os programas sociais e as merrecas que tiraram eleitores da sarjeta. 

A parcela da prestação a ser paga pelo preço é engolir os petralhas com possível vitória de Dilma. Ainda paga-se o abandono do zé ninguém, tratado como fava contada pelos donos do poder no passado. É fácil criticar quando conseguiu dividir o bolo, mesmo às migalhas, e nunca foi um zero à esquerda do numeral chamado Brasil.

Eu? Plantei uma muda de pau-brasil para tentar evitar sua extinção. A muda pegou e está cheia de brotos.Nem sabia que a árvore dava flores.

quarta-feira, 1 de outubro de 2014

Deputado estadual e federal : decadência de um sistema

                                  

Pelo  menos no estado do ES, as verdadeiras lideranças abandonaram a política formal. Nessas eleições, pessoas com talento para a política ficaram de fora. Esse comportamento deixou de ser característico das mulheres e atingiu os homens. É uma rama de aventureiros sem lastro algum com movimentos populares ou de classe, cooptados para cobrir vagas, porcentagens exigidas por lei e possibilidade de lucro fácil.

Equivocam-se aqueles filhos da teoria do nada, quando cobram participação da mulher na política. Ora, elas estão em inúmeros cargos de liderança, desde síndicas de prédio, a presidentes classistas ou de bairros. Mas recusam-se a aderir o ambiente nefasto das fofocas, jogos truculentos eivados de testosterona mal empregada, vícios de práticas espúrias, das mentiras consagradas, da manipulação nascida em cérebros próprios de psicopatas, cultivados nos bastidores da política.

Conheço gente confiável que abandonou a política por não deixar-se vender em troca de financiamento de campanha. E, financiadores são como o capeta: Sabem para quem aparece e joga para a vala do ostracismo quem não os adere.

Em compensação, na lista de  candidatos a deputados, estadual e federal, encontramos gente da época da ditadura, onde locupletaram-se de todas as formas, e hoje estão com 76, 81 e 92 anos sem jamais mostrar serviço prestado ao povo mas única e somente a si mesmo. 

Eu não tenho consciência pesada pois no meu tempo de participação o fiz, me expus, fui alvo certo para bater forte, sem esmorecer ou retroagir. Hoje me arrependo total e  completamente. Perdi meu tempo jogando pérolas aos porcos. Mas eles venceram porque o povo assim escolheu. É dificílimo, senão impossível romper a barreira invisível do sistema que mantem essa gente no poder. Somos mera massa de manobra. E, eleições um engodo.
Socorro!