sábado, 31 de janeiro de 2015

Retilíneo

                                


  
Na onda do calor, 
praia o dia todo. 
Mas cuidado com as consequências.
A máxima é deixar pra lá 
pois, se eu morro, fica tudo aí.

sexta-feira, 23 de janeiro de 2015

Calma, gente, tudo vai ficar bem...

                                 
A imprensa aderiu à prática estadunidense, escolhendo o lado político que vai ficar. Como há hegemonia na imprensa, comandada por São Paulo, há uma onda derrotista após perda das eleições. Até falta de dinheiro nas embaixadas, para pagar as contas, é noticiado com destaque. Sem nenhum compromisso com a verdade. Devem ser torcedores do Santos ou Palmeiras que não pagam seus empregados há mais de três meses. Já se foi o tempo em que criar futricas, aumentar desgraças, dar prioridade ao negativo era a ordem geral. Não basta ser derrotista ; há de ser catastrófico.

Enquanto isso, ainda bem que  nem todos são irmãos gêmeos de São Paulo. Será que devo dizer cidade de São Paulo?  É verdade que Brasil é um só mas as desgraças, sempre super dimensionadas, não são coincidentes. Viver em um lugar sem água, sem luz, sem segurança, com trânsito estagnado, sem campeão brasileiro, sem campeão sul americano, sem presidente da república originário deixa a turba a arrancar cabelos, a sapatear de raiva. Bem, que o Padre Manoel da Nóbrega avisou. E, isso foi há muito tempo.

Pior é para quem vai na onda: KLIKA





quarta-feira, 21 de janeiro de 2015

Mas que calor, ôôô!

                                 
  
Só para registrar, a temperatura em Guarapari está altíssima. O calor, insuportável. Não há a mínima condição de, sequer, andar nas ruas. Se arriscar, só com sombrinha. As praias continuam cheias porque a moçada tem pele de jacaré. Mas os índices de câncer de pele, com certeza, vão aumentar este ano. Minha vizinha, vinte anos, teve que retirar uma mancha no braço porque era câncer. Mesmo ela que não enfrenta o sol, fica na sombra quando, esporadicamente, vai à praia. Eu tenho evitado o máximo que  posso. Já peguei muito solão mas, hoje em dia não me atrevo, visto que minha pele não é mais a mesma.

Portanto, quem planeja vir pegar praia e a cor dourada, característica e típica de Guarapari, sugiro contar até dez.

segunda-feira, 19 de janeiro de 2015

Deixem a cesariana em paz!

                                        

Eu soube pelo Canal internacional, CÑÑ. Por aqui, noticiários só dão notícias de futebol,  ex jogador/senador com sua namorada/neta, lamentos da presidenta e seus verdadeiros aspones por traficantes de drogas, internacionais, fuzilados na Ásia. Passa pela cabeça dessa gente a vergonha que esses camaradas nos fazem passar? 

A Dilma Roussef, na sanha de controlar tudo até chegar à ditadura, decretou restrição ao SUS para fazer cesariana. Daqui pra frente, que a parturiente fique sofrendo por  horas a dor do parto enquanto a vida continua no Século XXI. As mesmas que consideram o aborto uma decisão de quem decide sobre o próprio corpo, não faz o mesmo para o tipo de parto. A mulher pobre, of course, fica longe das maravilhas da modernidade e terá filho como as índias.Aliás, até com as índias esses petralhas estão se metendo. A decisão é do estado, tal qual em qualquer ditadura. Pagar conta de paises africanos e os pobrezinhos sulamericanos pode mas gastar os impostos do brasileiro consigo mesmo, é desperdício. Sabe o nome da lider nacional? Fadynha. É sério?!

Se essas medidas servissem para que essas bestuntas diminuissem índices de reprodução, poderia ser uma boa idéia. Um controle da natalidade , indireto. Talvez seja e eu não captei a coisa. Mas duvido que, acostumadas com o aceitar tudo, tenham a capacidade de dizer basta. Ainda mais que, para muitas, filho é moeda de barganha. Os índices a serem alcançados é baseado na Europa e EUA. A cambada vai estudar por lá, com dinheiro público, e volta com discurso decorado.

É sério : KLIKA

sábado, 17 de janeiro de 2015

A pantomima da Dilma

                             

O cara, brasileiro, é traficante internacional, anos a fio. Entrava e saía dos paises com sua asa delta, rindo dos detectores de drogas que não detectavam nada. Um dia, todo confiante, sem saber que os aparelhos foram sofisticados, é apanhado na Indonésia, rota feita muitas vezes. É condenado à morte. 

Até ai seria tudo normal se a presidente do Brasil, Dilma Roussef não procurasse comutar a pena do traficante. Não atendida em suas investidas ao presidente da Indonésia, a mulher vira bicho. Diz que fala em nome do Brasil e dos brasileiros e que as relações entre os paises está estremecida. 

Os  usuários das asas delta se revoltaram, não com o camarada que usou  o aparelho que eles amam para traficar, mas por  matarem um traficante da mesma profissão deles. Vi um senhor, dos direitos humanos, dizer que os brasileiros que aceitam a morte do traficante  estão perto da barbárie.

O cara era traficante internacional, sabia das leis da Indonésia e bancou a incompetência de  detectarem cocaina no aeroporto. 

O discurso do ex traficante na boca do fuzilamento mostra que não mudou nada. Continuou confiante na estupidez humana.Tá morto, cremado, é pó. Que sirva de exemplo para outros brasileiros porque tem mais um na fila e que pagou para ver. Se não matam esses camaradas ia ter fila de vagabundo, dizendo que iam surfar nas ondas locais.

Quem diria! KLIKA
Para quem defende o vagabundo: KLIKA




quarta-feira, 14 de janeiro de 2015

A vomitada da semana

                                  


Queimaram muita vela pra defunto ruim. Um jornaleco  que vendia sessenta mil exemplares, hoje vende sete milhões.

Uma coisa é certa, não se deve dar conversa para gente pequena. Agora é tarde.Inês é morta... 

Ainda restou gancho para espertão encher a burra... Pensar que tem gente que se preocupa. Por aqui.

Eles se estapeiam desde sempre.

segunda-feira, 12 de janeiro de 2015

Bulying não é piada

                                     
Enquanto isso, no Brasil, que não é país sério ...
 
Se um jornal debocha de  um grupo étnico, religião, costumes ou práticas culturais, e, o faz reiteradamente, comete bulying. Não adianta dar outro nome. Não adianta confundir com o conceito de liberdade de expressão. Como um estudante não pode debochar de um colega,  por ser diferente, um jornalista também não. Ou se o faz, um ou outro, corre o risco de ter resposta, supostamente, à altura. Do suposto ofendido. Cutuca a onça com vara curta e tem o ataque feroz. De defesa.

- Quem fala o que quer ouve o que não quer.

O francês se dá de esculhambar com todos e tudo que não seja deles. Para a França o resto do mundo não é sério. A não ser que seja estadunidense, enquanto a burra estiver cheia.

Toda vez que alguém é humilhado e reage é bom. Ainda mais quando se é nacional do lugar mas tratado como lixo. Liberdade de expressão sem limites, no que dá na telha, de todos os tipos, pressupõe volta semelhante,inclusive bombas e tiros. Se vale para jornalista vale para todos.

Senão? KLIKA

Viseira é para burro: KLIKA

sábado, 10 de janeiro de 2015

Faça a conta: Corrupção à base de 3,5%

                               
  
O estado do Espírito Santo tem sede da Petrobrás porque tem extração de petróleo em terra e em sua costa marítima.À par da provável perda dos royaltes a que tem direito, foi construída uma sede faraônica, longe dos costumes arquitetônicos locais. Até aí tudo bem pois a megalomania é coisa petralha. Nas últimas eleições, os petralhas perderam no ES de cabo a rabo mas nem por isso perderam suas sinecuras federais. E, o edifício da estatal pilhada por gente com ares de elite, não deixou de fora o  ES.

Inicialmente orçado em noventa milhões, teve o  custo final em quinhentos e oitenta  milhões. O Ministério Público da União levantou as orelhas e mandou abrir inquérito para apurar onde estaria essa dinheirama. Desconfia-se que esteja no bolso do chefão da Lavajato. Não o da esquina, com certeza. Uma coisa é certa, três e meio  por cento foi para a conta do chefão como propina paga e confessa dos contrutores.

Eu só queria saber para que esse sujeito queria tanto dinheiro. Será que é para mostrar poder para os parentes como faz um rato que eu conheço?

Está incrédulo? Então, KLIKA

sexta-feira, 9 de janeiro de 2015

Lata d'água na cabeça

                                
Das casas aos edifícios: Quem aguenta?

Uma cidade praiana, fundada por Anchieta, com casas enfileiradas ruas afora serviu de cobiça para os especuladores. Quando começou a derrubada das casas o construtor era de fora. Até do Chile. Pouco a pouco o olho dos brasileiros cresceu e os herdeiros das casas contribuiram para a cidade virar paredão de fora a fora.A princípio eram quatro andares. Depois deram um jeitinho para ser seis. Num crescendo interesseiro, qualquer lote deu margem a edifícios de  dezoito andares.

 Em Vila Velha e Vitória, os moradores mobilizaram-se para haver distância  entre um prédio e outro. Em Guarapari um construtor ganhou as eleições para prefeito. Não deu outra: O camarada construiu tantos prédios que usou uma planta padrão, aprovada na prefeitura onde prevalece a fachada caprichada e o interior inabitável. Não tem ventilação e janelas minúsculas dão para vãos de outros que tantos, amontoados. O preço? Na estratosfera.

Os moradores se perguntam de onde vem esse dinheiro para comprar e vender tanta porcaria, impossível de aguentar o calor do verão. Por isso nunca dantes  na cidade, o pessoal, turista disposto a tudo, permanece  na praia até as oito horas da noite.
   
Nas minhas redondezas, onde prevalece o natural do local, com alguns tantos tutanos a mais, houve uma mobilização e conseguimos constar na lei de diretrizes urbanas que a altura dos imóveis não pode passar de sete metros, isto é, dois andares. Quem construiu edifício construiu, quem insistiu em peitar a verdade teve negado o habits e perdeu grana. 

Portanto, a falta de planejamento das autoridades, uma Câmara de Vereadores amorfa gerou muito dinheiro para os herdeiros , especuladores, corretores de imóveis, prefeitura e, principalmente, cartórios de registro de imóveis.

Prometer rodízio de fornecimento de água no Carnaval, se não chover e não vai chover, é ter o morador da cidade como pastel de feira para essa gente. Corja do caramba!

quinta-feira, 8 de janeiro de 2015

Bruxa é você !

                                         


Quando homenageio Elvis pelos seus oitenta anos, se vivo fosse, o faço a todos nós que envelhecemos. Chegamos aqui, tão à frente , enfrentando as intempéries, com saudades dos dias românticos que se foram. Elvis faz parte desse tempo.  Eu faço parte desse tempo. Abrimos caminho para as novas gerações. E, muitos dos que usufruem das benesses alcançadas, cospem no prato que comem. Desconhecem seus autores. Injuriam, com cara de demônio.

Leio estarrecida comentários em textos sobre Roberto Carlos ou Pelé, chamando-os de velhos e outras coisas  impublicáveis. Adoeço quando jovens chamam  mulheres de bruxas, gagás e homens de múmias. Erasmo Carlos fala em seu show que, a princípio, ficava chocado mas conseguiu superar o que escreviam sobre ele na internet. Essa gente pode, sequer, chegar tão longe e , seguramente, são a  ralé moral que nos envergonha.Viver tanto, enfrentando esse tipo de gente é muito difícil e Elvis também teve quem o tentasse destruir. Muitos são, hoje,  chupim da sua glória. Sua sensibilidade o impediu  de viver mais. Se vivo fosse ficaria estarrecido ao ver que o transformaram em um zumbi de sanguessugas insassiáveis, E, quem captanea foi quem lhe deu a primeira facada.

E, para não desviar-me da perversão humana, atrevo-me a dizer que morrer jovem contribuiu muito  para sua imortalidade, da forma como é. Envelhecido, enfrentaria a horda de  injuriosos que enfrentamos, nós os sobreviventes, às vezes, de tão de  perto.

Parabéns Elvis por seu niver. No lado bonito da minha vida, você está em destaque, aplaudido pelos que, junto comigo, vivemos juntos e o saudamos.




quarta-feira, 7 de janeiro de 2015

Em Roma, fale como os romanos

                                     
Praia do Morro / Guarapari 



No final de dezembro/2914, o prefeito de Guarapari-ES fez uma declaração pública, dizendo que a cidade dispensava quem não tivesse dinheiro e educação para  bancar sua estadia. Casas entulhadas de gente, música alta nas ruas, cachaçada em via pública seriam coibidas. Que iria tomar medidas duras para limitar o número de pessoas nos imóveis alugados.
De início não entendi. Achei soberba querer limitar o uso da propriedade privada. Mas, quando levas de turistas, até cinquenta pessoas, hospedou-se  em  um único apartamento de setenta metros quadrados, comecei a entender a fala do prefeito. A maior consequência foi a falta d'água. A turba ficou possessa e fez manifestação, queimando pneu na estrada de acesso à cidade.
Aqui nas minhas redondezas não houve isso. Felizmente não tem imóvel de aluguel por temporada e as caixas d'água suportam bem.

Quando fui molhar minhas plantinhas, que também são gente, uma turista, fazendo sua caminhada, gritou para mim se eu não sabia que estava faltando água. Mandei ela tomar naquele lugar se achava que ia deixar minha plantas morrerem para turista se afogar no desperdício.

Portanto, quero dar meu apoio ao prefeito e desculpar-me por minha limitação de inteligência pública. A nuvem de gafanhotos, que assola a cidade nessa época do ano, precisa   alugar vários apartamentos e usar o limite da capacidade das caixas d'água dos edifícios e casas. Para alguns, é difícil entender esse raciocínio como fui lenta também. É preciso entender a cultura local que não faz a mínima questão de turismo de massas e não se importa nadinha para quem não tem praia e quer se esbaldar quinze dias por ano, não deixando pedra sobre pedra.

Eu ouvi de uma turista, passando na rua, que se existe paraíso, este é Guarapari. Pois que continue sendo. Os de outros estados que respeitem Roma e falem como os romanos.

terça-feira, 6 de janeiro de 2015

Bandeira vermelha para eles

                                    

O ano começou com um preço a pagar pela incompetência do governo federal.Por mais que economizemos energia elétrica, quem dá a bandeira vermelha, significando  gasto a maior, é o governo.

O governo inventou bandeiras verde, amarela ou vermelha pelo gasto de energia, por região geográfica. Evidentemente, a região sudeste gasta mais energia. Por isso é penalizada com a bandeira vermelha e três reais  por cada cem  quilowatts a mais na conta.

O custo doméstico é uma coisa, mas o industrial ser cobrado é uma vergonha. O governo não tem competência para gerar mais energia e quem paga é o bolso do povo.

Quer sabe tudo? KLIKA

O oficial? Klika