domingo, 23 de julho de 2017

O canto da sereia

                                            


Somos uma nação em formação e nossas lideranças são, muitas vezes, forjadas por diretrizes bem intencionadas mas perdidas na interferência equivocada. O Velhaco é uma delas. Nascido nas águas de um tempo turbulento, encaixava com justeza nas teorias comunistas que prega o poder do proletariado. E o que é um proletário? Uma pessoa vinda do nada, de origem na camada mais pobre da população, sem instrução, operário de atividade simples ou  mecanizada, recebendo ordens de superiores e facilmente influenciado por intelectuais instruídos nas teorias sociológicas, prontos para aplicar o que leram e decoraram.

Em uma época em que um operário / sindicalista chegou ao poder na Polônia, um sindicalista que emergiu com o fim da opressão comunista, o Brasil, macaquito de sempre, resolveu copiar a zoropa e cunhou o seu líder operário e sindicalista, conduzido magistralmente pelos intelectuais ávidos em aplicar suas teorias sociais.

O povo, cansado de ser governado por gente vinda das altas camadas sociais que não correspondiam, aderiu à oportunidade de fazer história. Mas não contavam com a astúcia dos manipuladores de sempre, que com pouca resistência para comprar almas e vidas, encontraram então facilidade para jorrar dinheiro nos bolsos de quem nunca teve nada na vida. Não resistiram ao Canto da Sereia.

Com a certeza da impunidade, os petralhas tornaram-se uma gang de ladrões que aliam-se  a outras gangs, formando a maior quadrilha, saqueando os cofres públicos do planeta. Se o dinheiro compra tudo, essa gente conseguiu organizar-se de tal maneira que havia contabilidade definida e sofisticada para pagamento e controle, com adesão internacional. Compraram aqui e lá. 

Quem foi ludibriado, quem escolheu acreditar e apoiar essa gente, pessoas honestas mas teóricas, dificilmente acredita, do alto do seu ego de sabichão, que caiu em uma arapuca. Ou que ficou fora da bolada bilionária desviada dos cofres públicos. Continuam com seu discurso decorado, com formatação feita por toda vida e com sérias dificuldades de deletar tudo e mudar de rumo. Admitir erros não é nada fácil. 
A maquina da inteligência humana é um mistério e a formatação desses brasileiros é a calamidade para a nação. A dificuldade de mudar de rumo levou e leva nações para o buraco. Como admitir que o que aprendeu não é ordem unida de quartel?
Por isso estamos como estamos. A a teoria na prática é outra.  Não amarraram-e no mastro para resistir o canto da sereia.

sexta-feira, 21 de julho de 2017

O experimento

                                           

O Velhaco sempre mostrou-se um velhaco. Fico pasma como gente tida como inteligente e culta não tenha percebido isso. A menos que o tenham usado para experimento de suas teses estudadas em livros de pensadores zoropeu. Tem muito intelectual nacional que apenas repete o que leu, sem dedução ou adaptação ao que o Brasil precisa. Cópia rasteira de teorias ultrapassadas, escritas por gente que nem sabia onde ficava o Brasil, quando o Brasil sequer era Brasil. Teorias aplicáveis onde havia gente branca, com sociedade definida nas regras e lugares de seus cidadãos. O Brasil não se enquadra nessa categoria. Nosso inimigo não está aqui dentro mas fora, no mesmo lugar em que sempre esteve.

Aqui é preciso  líderes cunhados na mistura de raças, de um Brasil multifacetado, um continente indomável. Um povo que não lê teorias zoropéias,   mas tem influência, inclusive no DNA, da liberdade dos índios, dos negros e dos fugidos da miséria da Europa. 
Diferente dos EUA, não vieram para cá os letrados nem os religiosos cheios de teorias celestes de povo escolhido para ser o maior país do planeta. Brasileiro não se importa em ser o melhor em nada. Ninguém nunca domou o brasileiro porque este prefere viver a vida do que disputar pódios e títulos.

Eis que aparece um Silva, nome introjetado no DNA do brasileiro de origem longínqua , com todas as características de não ser domado pelas teorias intelectuais, supostamente sabendo do que o povo precisava e alia-se ao que de pior existe na elite bandalha, corrupta. Vende-se e entrega o povo para o seu pior inimigo, o capital regido por quem sabe reger dinheiro, o dinheiro  do suor do rosto do cidadão brasileiro apoderado por quem faz dele o deus da compra e venda de almas. Velhaco a medula, usou a velhacaria para em uma trajetória de semi analfabeto, seduzir os intelctualoides sedentos em aplicar o que decoraram nos livros alienígenas e piamente tidos como certos. Todos falastrões regidos na batuta da estupidez e da vaidade da decoreba inútil.

O futuro mostrará que, dificilmente será encontrado na história da humanidade uma história escrita assim. Não existe, não haverá. As conjecturas, as forças antagônicas, um povo manso politicamente porque formado na liberdade do não deus, da liberdade da  sua própria força, do escrever sua própria vida sem cabresto estrangeiro.

Que deixem o curso da  história do Brasil caminhar sem nenhuma interferência ou teoria conhecida. Que reconheçam que não sabem nada e deixem o povo brasileiro emergir para o que quer ser e não para o que querem que ele seja.

quinta-feira, 20 de julho de 2017

Pronto, falei !

- Elvis de branco, o pai Vernon a esquerda e Red a direita 
                         

Preciso escrever sobre Red West que morreu anteontem, dia dezoito, aos 81 anos.
Eu sei que a maioria não sabe quem é esse indivíduo mas eu, como fã de primeira hora de Elvis, sei e quero deixar meu texto sobre esse camarada.

Elvis estudou na Humes Hight School, em Memphis, TN,USA e sofria buling por sua maneira de vestir-se  e pentear-se.
Em uma ocasião, quando foi agredido por  um aluno, foi defendido por outro: Era Red West. Tinham 15 anos. 

Quando Elvis ficou famoso  em 1956, ele foi agredido em um posto de gasolina e teve que ir ao juiz porque reagiu. Então, decidiu contratar guarda-costas e lembrou de Red West que estava sem fazer nada. 
Quando voltou do exército, Elvis tornou a contratar Red que continuava sem fazer nada. A partir daí Red fez parte de um grupo que acompanhava Elvis e que foi chamado de A Máfia de Memphis.
Elvis fez com que esse pessoal fosse contratado para participar de seus filmes e shows. Red apareceu em vários dos trinta e cinco filmes e algumas músicas dele foram gravadas. Viveu uma vida em Hollywood com mordomias, entre famosos, bem vestido, ganhando bem, aproveitando-se de tudo que Elvis teve. Em enésima foto os dois aparecem juntos. Elvis foi padrinho de casamento de Red, deu a ele de presente  casa, carros, jóias e etc. Enfim, eram como irmãos.

Os EUA são um país esquisito pois Red não foi convidado para a festa de casamento de Elvis em Las Vegas. Se fosse no Brasil, um homem desses nem teria convite, chegava e entrava no casamento e ponto final. Mas Red ficou ofendidíssimo e nunca aceitou as desculpas de Elvis que dizia não ter participado da lista de convidados e nem da preparação de nada.
Continuou a trabalhar para Elvis mas maltratava os fãs, tratando-os de forma grosseira a ponto de alguns buscarem ação de indenização. Quando Elvis pedia moderação porque as ações estavam lhe custando caro, Red respondia de forma grosseira. Então o pai de Elvis, Vernon, o demitiu junto com outros dois seus parentes.
Não sei como funcionava ou funciona os direitos trabalhistas nos USA  mas Vernon - o pai de Elvis - não teria pago o que Red exigiu.
Foi então que Red e os outros dois escreveram um livro, detonando Elvis Presley: Elvis, What heppening?
Quando contaram para Elvis, o livro já ia ser lançado. Elvis telefonou para Red e este, entre outras coisas, disse que tinha saído sem nada e precisava de dinheiro. Por isso havia aumentado os fatos porque se escrevesse coisa comum não venderia. Elvis apenas perguntou se era a sua última palavra.
Deram entrevistas para televisão, jornais, detonando Elvis de drogado e decadente para baixo. Este ficou devastado, rompeu definitivamente com Red, teve agravada  sua depressão, ficou  a poder de remédios, trancado no quarto, pouco saindo e para fazer shows, morreu três meses depois com quarenta e dois anos. Vou poupar os detalhes porque tem muita coisa, a vida de Elvis já rendeu quase seiscentos livros.

O referido livro, detonando Elvis, ainda está a venda e só quando foi divulgado o resultado da autópsia, trinta anos após a morte de Elvis, é que se tomou conhecimento da condição física e causa da morte de Elvis. Nenhuma droga ilícita, só remédios. Mesmo assim, Red jamais pediu desculpas e ainda usou o nome e imagem de Elvis para continuar a viver até ontem, com sua morte. Um descaramento sem tamanho.
Não se sabe porque Elvis escondeu sua real condição de saúde e nunca contou para ninguém. Preferiu recolher-se no quarto, em silêncio e tudo foi tornado público por garimpagem de jornalistas, médicos  e pesquisadores.

A vida não é fácil para ninguém pois Elvis morreu jovem com quarenta e dois anos e seus detratores viveram até oitenta ou mais. E, agora aparecem fãs desejando que Red esteja junto de Elvis e os outros da Máfia ou os músicos que acompanharam o cantor na sua trajetória musical e que já morreram.

Eu comecei este texto pronta para detonar Red West porque o considero um traidor, um aproveitador mal agradecido, um péssimo indivíduo, descarado, sem vergonha. ( Mineiro tem horror de traidor por influência da Inconfidência Mineira).
Elvis morreu rompido com ele. Não posso dizer que eram inimigos porque não sei se Elvis tinha esse temperamento, parece que não tinha essa índole. Mas rompidos totalmente eu sei. Sei que Elvis preferia ficar trancado no quarto, abandonar uma suposta amizade sem fazer nenhum comentário, a enfrentar problema ou celeuma. Passava essa tarefa para o  pai e o empresário mas fugia sistematicamente.

Enfim, quero terminar dizendo:

- Que o inferno receba Red West com toda pompa que ele merece. E,  que ele fique no departamento próprio dos traidores dos amigos e que não são poucos.

quarta-feira, 19 de julho de 2017

Os predadores

- Umidade terrível na orla do Oceano Atlântico. A maresia come até vidro.
                                   

O Oceano Atlântico solta suas gotículas nos ares e elas chegaram até aqui. O morrículo  onde moro é resultado de milhares, talvez milhões de anos de sedimentação de poeira de terra e areia, vindas de longe. Isso não é absurdo quando sabemos que a areia do Deserto do Saara chega até a Itália. 

A prefeitura recusa-se a calçar minha rua, que não tem cem metros e começa em uma falésia invadida por um pessoal do Paraná. Inclusive, levantaram um muro, fechando o acesso ao fim da rua que é um barranco, a falésia propriamente dita.
Quando construímos essa casa onde habito, eu tinha a visão do mar à minha esquerda e hoje só vejo o muro de três metros pintado de vermelho. Suas construções foram embargadas pela prefeitura, somente este mês, talvez por pressão dos turistas e moradores que só vem passar os feriados quando devia ser, também, pelo Serviço de Patrimônio da União.

Eu nunca fiz nenhuma denúncia. Quando a fizeram a primeira vez o morador veio aqui em casa e disse que eu não valia nada por ser mineira, porque mineiro quer tudo dentro dos conformes, achando-se melhor que o resto dos brasileiros ( ?! ). Veio aos berros. Esperei que se calasse para dizer que não mando recado, que se fosse eu lhe diria e que não fiz denúncia dele porque já perdi meu fôlego, sou uma onça que perdeu as garras porque se fosse nos bons tempos haveria de buscar a aplicação da lei. Que há muito perdi a esperança de o brasileiro ter amor a sua terra, defendê-la de predadores como ele. Que eu era mineira que ajudou a construir o ES e não veio usurpar como ele. Fiz um discurso, procurando palavras difíceis, como tática de guerrilha verbal,  para ele ficar calado porque não estaria entendendo metade. 

A placa de embargo da construção foi, afinal, colocada. Disseram que, com essa chuva, desmoronou um pedaço da construção que ele fez, coisa de ignorante sem noção alguma de engenharia, achando que fazer muro de arrimo e construção em cima, como ele vê nos filmes, é subir parede sem nenhuma técnica ou conhecimento. Mal sabe que na época dos egípcios já havia técnica de empilhar pedra para não desmoronar.

Caramba! Como é difícil enfrentar esses espertinhos!

De butuca

                                   
- Tudo nessa vida passa.
      

Os blogues hoje só valem para quem tem padrinho e quer ganhar dinheiro. Se for de futilidades como moda, maquiagem, unhas pintadas para quem não faz nada na vida, sapatos exóticos, ganha destaques nos grandes portais. Não sei se é matéria paga ou se exigem que seus executores sejam jornalistas. Talvez sejam financiados pelos produtos que divulgam porque ninguém faz propaganda para empresário ficar rico sem cobrar. É a profissão blogueiro.
Eu ando um pouco sem animação porque  a sensação de perda de objetivos  e pouco resultado do que se pensa ou faz tem efeito. Em um país onde a inciativa privada é punida com cargas tributárias, desprezo de toda sorte, sobreviver é mais do que deixar o nariz de fora d'água. E, escrever é uma iniciativa privada onde investidores só entram para descontar imposto e, no Brasil, correr atrás de vendas.

Nas páginas de opinião, a maioria é escrita por homens. Muitas delas radicais, obsoletas e com opinião rastreada em onda de outras várias páginas. As mulheres continuam pensando com o disfarce feminino mas não representam o pensamento da mulher.

" Algumas expressam a voz da mulher, outras simulam. Não possuem uma linguagem feminina e falam pelas mulheres como se fossem a parte feminina do homem" *

Nessa minha página, não sei o que eu fiz ao mudar o templat que saiu da divulgação e não sei como fazer para voltar a ter meus leitores. Como consequência, perdi o fôlego. Vou recuperá-lo com certeza.

* : Citação do meu livro Mulheres em suas evidências.

quarta-feira, 5 de julho de 2017

Nosso clima nossa vida

                                      

E especialmente nesta época do ano que é percebido como os humanos invadiram lugares que não devia. Durante séculos a pretensão religiosa dava como rei da criação o Homem. A ponto de esquecer que o os humanos também são animais.. 
Por ser o Rei d Criação tinha o direito de tomar posse da Terra e dela fazer o que bem lhe aprouvesse. Até que passou dos limites porque não é verdade.
A arrogância, então, passou para os pseudos cientistas que afirmam de boca cheia que a Terra vai acabar em virtude da ação humana. 
A prova, que não confere a afirmativa, é a Terra continuar  sua trajetória sem tomar conhecimento dos arrogantes, isto é, esqueceram de avisar para o Sol e o  sistema do qual nosso planeta faz parte. 

Tem gente que vive dessa teoria do fim do mundo. E dela emana poder. Os Maias que o digam. Os idiotas dos EUA também.
Sentados na sapiência de grupelhos estadunidenses, auto titulados ambientalistas, a humanidade vem sendo manipulada por essa gente. Ai de quem discorde. Tem gente ficando rica com essa ladainha ecológica. A Noruega, por exemplo, metida a ser um país culto e desenvolvido, acima do bem e do mal, longe das mazelas terráqueas, chegou a criar um fundo para financiar lesões ecológicas havidas em vários cantos do mundo.  
A Zoropa, continente predador por natureza, onde seus habitantes acostumaram-se a explorar o resto do mundo para manter seus palácios ridículos, de mau gosto e estilo de vida, ditam para o universo suas teorias. Mas quebram a cara porque a natureza continua impassível e não obedecem os calendários que lhe é imposto com critérios humanos.

Por aqui a natureza não mudou nada desde que me entendo por gente. Os períodos de seca, de chuva, de calor ou frio continuam acontecendo como sempre aconteceram em seus vários ciclos periódicos. O ser humano vive onde não devia viver em invasão indevida do lugar. Mas a Terra nem tomou conhecimento e continua a mesma.

Aos autoritários de plantão, que agridem governantes que seguem outras vertentes e recusam-se a financiar esses espertalhões, façam o favor de aceitar que não são nada mas meros achistas de plantão.Tanto como eu e com os nossos mesmos valores. Só que eu não ganho nada.