terça-feira, 10 de outubro de 2017

Satanás !

                                     Gente fina é outra coisa
     
Eu faço academia há mais de dez anos. A primeira que eu frequentei, já fechou, tinha um espaço para as mulheres fazerem os exercícios  com caneleira. Esses exercícios são no chão, no tatame, com caneleiras nos tornozelos. Geralmente é para fortalecimento das nádegas. Por isso é um tal de levantar pernas, flexionar, geralmente com os cotovelos e joelhos no chão e bunda pra cima.
Pois um camarada, com idade entre 25 e 30 anos, passava no espaço,  constrangendo as mulheres e, muitas vezes, os exercícios eram interrompidos. Obviamente, ele passava para olhar entre as pernas das mulheres.
Eu falei com o dono da academia, pedi que ele colocasse um objeto impedindo o trânsito no local e ele me disse que eu fizesse os exercícios de costas para a parede. Respondi que já que ele não ia tomar providências, que eu o faria. Ele respondeu, fique a vontade.

De certa feita, eu estava fazendo os meus execícios com uma mocinha de uns quinze anos do meu lado quando esse cara resolveu fazer das suas. Ela comentou que o cara era um safado e queria aproveitar-se da situação, um tarado. Então, eu disse a ela que eu havia pensado que era somente eu que estava vendo aquilo e que não iríamos interromper nossos exercícios dessa vez. Que ela ficasse quieta pelo que eu ia fazer.
O cara deu a volta pela academia e voltou para passar no nosso espaço, eu me levantei e o barrei.
- Aqui você não passa. Não tem nada para você fazer aqui, é espaço feminino e está nos constrangendo.
Ele:
- Você está insinuando alguma coisa? Eu passo onde quiser. A malícia está na cabeça das pessoas.
Eu:
- Aqui não. As mulheres lutaram muito para poder frequentar uma academia. Algumas foram mortas, uma aqui no ES morreu com um tiro na cara, com a filha no colo. Se você insistir, chamo a polícia e o acuso de constrangimento sexual.
Ele levantou a voz e disse:
- Você é doida, eu não estou fazendo nada ... blá, blá, blá.
Eu:
- Não pense que vai me constranger. Você nem tinha nascido e eu já lutava contra a polícia, na rua, pelos direitos da mulher. A escolha é sua.
Ele saiu bufando e não passou mais no lugar. Mas toda vez que ele passava por mim, mesmo que fosse na rua, me xingava de bruxa bruxa, bruxa. Não ficou na academia, saiu, mudou-se para outra e eu soube que houve reclamação e foi convidado a sair. 

Pois um camarada, vindo da Bahia, todo tatuado,  inquilino de um apartamento de um prédio em frente a minha casa desde novembro do ano passado, chutou o portão da minha casa, disse que ia me matar, tudo porque eu reagi por ele trazer seus cachorros para fazer cocô na grama em frente do portão da garagem. Resumindo, tive que chamar a polícia e fazer Boletim de Ocorrência no dia seguinte. O policial queria levá-lo para a delegacia para fazermos o BO na mesma noite mas achei melhor proteger-me pois não sei quem é esse cara. De maus bofes, pode ter ficha suja na Bahia. Eu estou encantoada dentro de casa, pelo menos até novembro quando vence o contrato de locação dele e espero que ele se mude. É costume por aqui o inquilino ficar somente um ano. É jogada dos administradores que são pagos com um mês de locação toda vez que aluga um imóvel. Então, há o remanejamento de um imóvel para outro.
Depois disso, ele olha duro para meus filhos. Eles estão apreensivos porque impressionados pela forma como o cara faz. 
Acreditem, toda vez que ele me vê,  grita em plenos pulmões:

- Satanáááás !

De onde essa coisa veio? Qual o grau de instrução e educação? Sei que é o mesmo que a mulher estuda com o filho, aos berros e palavrões. Eu gravei daqui de dentro de casa. É o filme lá de cima.


Exercícios para glúteos e pernas
                         

                                 

Nenhum comentário: