sexta-feira, 8 de dezembro de 2017

Professora ensina sexo oral ao vivo para adolescentes

                                     
O aumento da incidência de câncer no sistema digestivo é apavorante. Seria interessante pesquisar se isso é resultado direto da bílis que destilamos, toda vez que lemos uma notícia sobre o que fizeram com as contas e o dinheiro público  do cidadão que paga os impostos. Ou a disseminação da falta de pudor e o ser discreto nos  costumes privados e personalíssimos.

Agora apareceu um vídeo que me foi enviado com uma professora ensinando os alunos a fazer sexo oral. Usa um rapaz como modelo e no meio de moças. Ajoelha-se no chão para mostrar como deve ser feito o sexo. Ninguém protesta e ela faz piada e debocha do constrangimento dos adolescentes, todos menores de idade. Não aparece nenhum diretor nem outra professora para por fim ao absurdo.

Além de ensinar o que não faz parte do curriculum, eu tenho a convicção absoluta e inarredável que esse tipo de sexo, com a mulher ajoelhada em frente o homem enquanto faz sexo oral tem duas vertentes: Uma é a falocracia, o culto ao falo e que deve ser feito pela mulher e outro é a degradação da mulher como instrumento coisidificado para o homem.

Eu não sou moralista e cada um sabe da sua vida mas um tipo desses, que deve  combater a violência contra a mulher não tem noção do que significa essa atitude e o que representa a pantomima com a mulher ajoelhada. Professora ensinando para adolescente uma fase avançada do comportamento sexual. Se algum já viu em site pornográfico não é somado à desculpa alguma.

Já não basta saber que o Brasil está entregue ao estrangeiro, com a Câmara Federal perdoando divida de empresa de petróleo, privada, estrangeira na ordem de cinquenta bilhões de reais em impostos não pagos. Não basta ter feito doação para países africanos, com mandatários tao corruptos como quem fez a doação, os petralhas asquerosos e ainda cotados para voltar ao poder. Há de tornar o brasileiro um amorfo, sem reação alguma a nada sob pena de ser chamado de doido, de violento, do extremo, a tornar mania, vício, fixação em uma idade onde os hormônios estão em ebulição. Encher a cabeça do adolescente e da criança de sexo, de fornicação, de usar o corpo para o culto ao falo e a misoginia e não estudar para ser cientista, escritor, pesquisador, cidadão trabalhador e feliz. 

O brasileiro que tem o mínimo de cérebro, ao ver tudo isso, a falta de perspectiva como nação, pelo menos a médio prazo, para os próximos vinte anos ou trinta anos, destila bílis em ódio profundo, fere de morte o suco pancreático, o suco gástrico, destroi as  enzimas do fígado, suas células e cai sem saída no câncer devastador, morrendo em dois ou três meses. Isso está acontecendo aos milhares.

Preciso me cuidar, controlar minha adrenalina, fazer como a maioria da população que, se você reclamar ou reagir, gritam que você é doida. E não pensar que, essa chusma que protesta o faz por amor a pátria. Não, o brasileiro é apátrida. Se não dá para abandonar o navio, essa gente finge-se de morta. E não é para comer o coveiro mas para levar vantagem. Se não for para sair do Brasil e, de longe, nos atacar como formigas de fogo.

Se não, poupe-se :  KLIKA



Nenhum comentário: