domingo, 29 de abril de 2018

De dentro do cárcere

Plataforma de petróleo no Pré Sal, ao pôr do Sol.
                     
O Velhaco, de dentro da cadeia continua a gerar ódio e sizânia . Eu não encontro outra palavra para definir o que esse líder da discórdia vem tramando com suas ovelhas  de plantão. A última é jogar o Juiz Moro contra os ministros do STF.

É uma piada indicar um camarada desse naipe para o prêmio Nobel  da Paz. Para mim o Nobel já não vale nada há muito tempo. Porque desconhece o mundo e os benefícios feitos para a humanidade por  pessoas menos poderosas. Os outros não possuem as  lantejoulas  da civilização para merecer o prêmio. A ponto de dar valor a cantor regional no Prêmio de Literatura.  No que acho mais piada ainda, pois meu marido gostava do mequetrefe fanhoso. É cada uma! Parecem duas!

Minha decadência mental vai a passos largos porque não consegui captar os motivos de manter um ladrão dos impostos do povo brasileiro com tantas regalias na prisão. Ele justifica ser o deus dos pobres porque estes puderam comprar  mais do que compravam antes. Será que essa anta sabe que as compras eram feitas em prestações? Até compras semanais em supermercados ? E, usados Cartões de Crédito sem nenhum controle, por ignorância das regras que endividaram  mais da metade de suas ovelhas?

Eu vi bestunta abrir a bolsa e exibir a carteira com inúmeros Cartões de Crédito. Isso fez nascer uma  prestação de serviços para negociar as dívidas com os bancos. Cansaram de telefonar para oferecer os cartões e, depois, para negociar minhas dívidas. Que dívida? Nunca devi um tostão e não sei do que estão falando. Que horror não ter Cartões de Crédito às pamparras!
Surgiram  os diversos programas para ensinar a negociar as dívidas, a planejar gastos, a não comprar no impulso. Não era pouco, com exspecialixstais falando tudo nos mínimos detalhes.
Os créditos consignados colocaram muito vetusto comendo pão com alface durante meses porque compraram carro zero com pagamento em cinco anos ou foi a Cusco no Peru, viagem cujo preço são os olhos da cara. Teve velho que teve piripaque e morreu nas montanhas duríssimas até para Pizarro e sua gente.

Agora vem esse indivíduo, absolutamente vil, dizer que comeram mais carne no tempo do seu governo. Pois eu deixei de comprar carne vermelha, exatamente no governo dele. Além de caras eram refugo do que sobrava da exportação, carne horrorosa, sequer havidas nos tempos do cepo de madeira e embrulho de jornal.

Ou essa gente é burra ou não quer admitir a derrota para o inimigo.

Nenhum comentário: