terça-feira, 22 de maio de 2018

Pobre gosta é de riqueza

                           
Antigamente saíamos de carro para conhecer a cidade. Obviamente passávamos pelos bairros ricos para ver as casas grandes e bonitas. Pobre é uma desgraça, não tem vergonha de ver a abastança alheia.
Ou andávamos a pé no mesmo bairro e adjacências  para ver a fachada das casas, muitas no estilo moderno de Brasília porque estava na moda. Nenhuma tinha telhado. A arquitetura moderna exigia laje imperbializada , coisa caríssima, linhas retas e jardins com muita grama. Eram bonitas.

O casamento na Inglaterra do inútil filho da princesa Diana trouxe-me essas lembranças. A pobreza do mundo indo apreciar o casamento de um cara que não faz nada na vida de útil mas mora em um palácio, anda de avião próprio e carro elétrico de um milhão e meio de reais. No mínimo.

Que celeuma um  cara que beira a bundão casar-se com uma moça mais velha, mulata, divorciada, atriz e estadunidense. O cara precisa mesmo é de uma mulher assim a conduzí-lo. Afinal, um inseguro que não superou a morte da mãe. Frequenta psicólogo porque a mãe morreu em um desastre de carro e ele teve que ir ao enterro! Um florzinha que teve tudo na vida e procura o que ser vítima para provar que não tem tudo. Uma moça com experiência e acostumada a abrir caminho na vida, está de bom tamanho para o bebê chorão, um fofura como disse o fotógrafo da corte.

Acompanhar o casório só porque não tem nada para fazer e, até eu, li alguma coisa a respeito mas não tive paciência para ver a papagaiada na igreja. Dizer que a moça é feminista mas vestir de noiva, com vestido branco , véu de cinco metros, adotar o nome e título do marido não tem nada de feminista. A menos que seja para angariar dinheiro e aumentar a conta bancária própria, da casa real e do próprio país outrora useiro e vezeiro em usar a chibata para ensinar ao mundo como ser educado, fino e rico.

Não é azedume meu. Mas não gostar de tanta lantejoula jogada e fingir que está entediado para desculpar o complexo de culpa judaico cristão, amansado com meia dúzia de atos de caridade  não muda absolutamente nada onde são praticados.

Enquanto isso, a certeza é a reprodução de mais rebentos inúteis, porque a fornicação está garantida na despreocupação dos fartos. Desde que a nossa miséria tupiniquim não seja ofendida e a africana usada para tapar o Sol com a peneira.

#casamentoharryemeghan


Nenhum comentário: