quinta-feira, 14 de junho de 2012

Toma !

                                 
A prostituição existe porque no sistema falocrata judaico cristão a mulher é tratada como coisa, como profissão mais antiga do mundo, como equilíbrio para a mantença da honra da família ( e, portanto, muitas mulheres são contra as prostitutas mas defendem os maridos que lhes transmitem doenças venéreas trazidas das ruas e o sistema obriga a estas protegerem -se desses mesmos imundos) porque o homem é um vencido na cama e com elas não haverá avaliação / perda / dano, porque conquistar uma mulher é preciso arte e os cambetas precisam de facilidades, é para mostrar poder de quem tem o dinheiro e compra a mulher, segundo sexo, descartável quando lhes compete. Prostituição existe até no casamento, são as monoputas pois muitos casamentos são por pressão social e falta de inserir a mulher no mercado de trabalho. Existe no espírito das revistas pornográficas , inclusive nas disfarçadas. Tudo em que o sistema compra na mulher para satisfazer a libido fajuta e mal orientada do homem é prostíbulo. Este crime é rasgar a face imunda do sistema falocrata de que, quem tem a grana é o homem e portanto a mulher deve e pode vender que o mesmo sistema acoberta. 
Um dia a casa cai e os poderosos levam surpresa por reações de humilhados tidos como inertes e descartáveis. O sistema não se importa com os destino dessas mulheres, não quer saber o que fazer com elas quando incomodam, torcem o nariz se perdem a aparência ou a saúde. Não tenho pena, tenho o mesmo horror de sempre com toda atitude da dimensão do hoje vítima, mas ontem o verdugo , do sapo que quis passar-se por príncipe encantado.



9 comentários:

Marira Eugênia disse...

A prostituição no casamento é algo a chocar mais do que à da rua. Essa é incompreensível, quando vemos mulheres com profissão ou não, ao se acomodarem na "vida fácil" de casada, ao terem tudo provido pelo parceiro oficial (perante a lei e à Igreja). E são inúmeros os casos e situações.
Diversas são as idades dessas mulheres, me assuntando a cada dia o grande número delas na faixa dos 40 e 50 quando a "desculpa" ou "justificativa" de criar os filhos e cuidar da casa não são mais sustentáveis.

Lucimere disse...

Toma!

Benedito Ap. da Silva (Benê) disse...

Poderia citar vários adjetivos bons ou ruins para esta, mas só direi que burra. Não lutou pelo seus direitos tendo a prova da traição do marido garanhão. Insensata, burra e nem pensou que era mãe.

Nanda disse...

Magui, não consigo imaginar um 'toma' numa situação dessas. Ela estava pessando pelo mesmo que a primeira esposa dele; descobrindo traições e tal. Mas nada justifica um crime tão bárbaro. A loucura, o ego e a burrice (como disse o Bnê) não escolhem sexo. Beijos, ótima semana!

Simone disse...

Magui,

Homens canalhas como o japa sempre encontram uma patológica na vida. Quem procura acha, né?

Apesar da parada criminosa, quem é a vitima? ele ou ela?

Engraçadinha disse...

é a lei de ação e reação.
No fundo no fundo, a gente vai de encontro ao que procura, de uma maneira ou de outra.

Engraçadinha disse...

Magui,

Já tentou copiar a URL na barra de endereços?

http://vounaengracadinha.blogspot.com.br

Tente usar outro navegador pra variar um pouquinho (Windows Explorer, Firefox, Google Chrome ou Safari da Apple)

Bj.

Nana disse...

Por trás de toda fortuna, sempre existe um grande podre. Bj e fk c Deus.

Blog do Beagle disse...

Nada a opor. Bjs.Elza