domingo, 11 de maio de 2014

Dia das mães, o Poder do discurso

                                       


Mães humanas,  também, usam seus filhos como instrumento de dominação. De busca e exercício de poder.
Por isso, há quem diga que o amor materno não é natural mas criado pelo sistema e instrumento de domínio do estado para suprir cumprimento de suas obrigações. Por conseguinte, treinam as mulheres para fazer o que o estado precisa fazer. E, os homens ficam nas beiradas, como complemento do que o estado , também, deveria cumprir.
Ao mesmo tempo, o estado faz o que um grupo deseja para si mesmo. Enquanto isso, nas bordas do sistema, os excluídos do banquete do estado festejam satisfeitos e choram quando não dá certo. As mães curvam-se sob o peso da culpa porque não conseguiram fazer o que o estado e seus donos convenceram a elas que a obrigação é sua. Os homens erram por não entender o seu lugar nisso tudo.

Dia das Mães é bonito mas não para doutrinar, cada vez mais, o papel  que deveria ser preenchido pelo sistema. Nem cabe o discurso da obrigação unilateral onde mãe deve fazer tudo e o pai, talvez, muito talvez, seja coadjuvante; se tiver dinheiro para comprar seu lugar. E, na cabeça de quem se esbalda no banquete do sistema, a mulher é carne e unha do conceito imposto por ele:  Ai de ...

Tem certeza? Então medite: KLIKA
Também é : KLIKA

#forapetralhas

2 comentários:

DO disse...

De qualquer forma,espero que vc tenha passado um otimo domingo .

Tais Luso disse...

O Dia das Mães, se fosse pelo sentido real da coisa, seria uma homenagem perfeita, mas nota-se que o comércio dominou tudo. Assim como o Dia dos Pais, Natal e Páscoa. Mas quem não vê? Só quem não quer...

Abraços.