quarta-feira, 30 de março de 2011

Assédio sexual

                
Enquanto fazia minha baique na academia , eu lia um artigo de revista onde um ator francês, entre outras coisas, explicava seu amor ao Brasil. Aquelas loas de sempre mas uma chamou-me a atenção quando ele explicava a diferença maior entre brasileiros e europeus. Esta, resume-se no olhar para o futuro sem pessimismo. Diz ele que, é muito comum  na Europa, encontrar manifestações de pessimismo, ninguém gosta de nada, tudo está ruim, nada vale a pena, falam mal de tudo. Ainda diz que o ranço do velho, de tudo no devido lugar, contrasta com a alegria de viver e aproveitar a vida do brasileiro, comportamento que nenhum povo tem.

Mal sabe ele que por aqui também tem este tipo de gente. São como patrulha a buscar o que está errado e , depois, proclamar que somente aqui existe toda sorte de gente ruim  e seus comportamentos. Ele deveria ser informado que a grande diferença entre nós e eles, é a capacidade que eles tem de esconder suas mazelas e nós de provarmos nossa inferioridade.

Não sei se é coincidência mas depois que a Europa cambaleou financeiramente as notícias dos mesmos crimes e comportamentos existentes por estas bandas começaram a pipocar.Eu nunca fui à Europa e   nunca fizeram minha cabeça em suas escolas  mas não é preciso ir lá para saber que o ser humano é o mesmo em qualquer lugar.Livros, também,  são para isto.

Mas, fiquei espantada quando li que, na Inglaterra foi fundado um grupo feminista de protesto contra os abusos masculinos  em transportes públicos e enfrentamento às piadas grosseiras nas ruas, dirigidas às mulheres. O complexo de inferioridade das brasileiras que vão à Londres davam-lhes certeza que era somente com elas. As metidas a besta, já catalogavam que brasileira é tida e havida como mulher vulgar por lá, exatamente, pelo comportamento dessa gente. Viver de cabeça baixa não dá para ver o horizonte...

Vai ser uma decepção para certo tipo de gente rasteira quando descobrir que os ingleses são tão tarados e  grosseiros como qualquer tipo de homem que o seja. Aliás, o príncipe herdeiro nunca deixou gente civilizada pensar o contrário.

Não acredita? Então Klika


5 comentários:

Lucimere disse...

Lembrei no vagão rosa que fizeram nos trêns do Rio de Janeiro. Só entram mulheres.
bjosss

Cadinho RoCo disse...

Precisamos sim de boa dose de autoestima sobretudo quando nos colocamos diante de estrangeiros que usam e abusam do nosso país e da nossa gente.
Cadinho RoCo

Miguel disse...

De fato, para eles aqui só se vive no carnaval e no futebol, talvez por isso sejamos julgados de vulgares, não apenas as mulheres, mas semelhantemente os homens. Mas estamos crescendo, e muito, resta torcer para que alguns poucos políticos honestos e dedicados possam se multiplicar e acabarmos de vez com o conceito que tês de nós. Beijo minha cara, até outras vezes.

Engraçadinha disse...

Muito interessante seu post. Li a matéria tb e é curioso q em pleno século XXI, depois de toda liberdade sexual q ainda haja comportamentos desse tipo.

Jota Effe Esse disse...

Quero dizer a Lucimere que a "lei do vagão rosa" não pegou aqui no Rio. Acho que deviam descobrir outra forma que permitisse respeito às mulheres que viajam em coletivos. Meu beijo.