terça-feira, 7 de agosto de 2012

Medalha de ouro nas argolas com novidade impossível

                                
Acho uma baboseria os Jogos Olímpicos. São cansativos para quem não conhece bem as diversas modalidades.  Atualmente, não consigo gostar dessa luta absurda por medalhas. Não é como antigamente quando a disputa era vencer as barreiras , ganhar e comemorar. Hoje, muitos vão no sacrifício com dores, remendos, bandagens e, se vencem ,soltam ofensas aos adversários vencidos, ou até mesmos aos seus países de origem.

Mas sempre gostei das competições nas argolas. Acho que são as mais difíceis de todas as modalidades de esportes. Os atletas do Brasil nunca se  destacaram naquele esforço sobre humano contra a gravidade.Talvez por isso, a mídia não deu atenção devida à Arthur Zanetti, campeoníssimo desde há muito. Preferiu destacar  atletas consagrados mas que deveriam dar espaço para a renovação. Ser atleta olímpico é saber que a carreira dura pouco. O grande esforço acaba com o corpo humano e, no final de algum tempo não há mais condição de competição de tão alta performance.

Alguns atletas nacionais são traídos por si mesmos e despencam no tatame na fase de classificação. É uma desculpa porque sabem que não tem condição de chegar a final. Suas medalhas tem grande valor mas em competições menos disputadas.

Zanotti sabe até onde pode chegar. Especialmente,  aproveitou os seus um metro e cinquenta e cinco centímetros em uma modalidade que o  favorecia. Sem alarde e sem a mídia  carregar louvores , focada em glória inapropriada, foi medalha de ouro nas argolas.  Surpreendeu na final com criatividade inesperada, arrancando exclamação uníssona da arquibancada e batendo um penta campeão chinês .

Como disse outra campeoníssima inesquecível, Maria Esther Bueno, que fez questão de cumprimentá-lo:

-Ele faz tudo tão bem feito que parece simples. É um verdadeiro campeão - disse a ex-tenista.

Um comentário:

Tony disse...

No país, com um programa de incentivo ao esporte muito modesto se comparado à sua dimensão, essa medalha só servirá para o guri ser cobrado incoerentemente daqui quatro anos, pra sofrer nas narrações do ufanismo barato que globo e cia farão [aliás, o destaque de poder assistir em outro canal: transmissão de qualidade e sem exageros].


De um dos posts anteriores, concordo contigo. Basta ver que a TIM só começou a ser incomodada quando as pessoas do ministério público começaram a ter problema com o sinal...