terça-feira, 22 de março de 2016

Jogo de poker

                     Chefe Boran e seu grupo de saguis do meu quintal     

Um cliente do escritório de advocacia onde trabalhei era processado pela CAIXA. Ação criminal na Justiça Federal. Era alto funcionário, concursado, ganhava excelente salário.
Exonerado do cargo, ficou em um canto, esperando a decisão judicial que, afinal, o condenou. Foi catar coquinho e nunca mais o vi.
O crime foi de apropriação indébita. Ele tinha a senha do computador para acessar as contas dos clientes e sacava de várias delas. Com a reclamação dos correntistas lesados, foi identificado, processado e condenado.

Um dia, ao esperar audiência, perguntei a ele porque tinha feito aquilo. Um cara bonito, forte, inteligente, ganhava excelente salário, tinha prestígio na empresa, nome na sociedade. E, ele, de cabeça baixa me disse que foi como um jogo de poker. 
Perguntou se eu sabia como se jogava poker. Eu disse que não sabia jogar nada. Ele disse que eu tinha sorte porque gostar de jogar foi a sua desgraça. Pedi que detalhasse a ideia. Ele disse que no poker a pessoa recebe as cartas e vai abrindo devagar para ver  quais são. Chama-se filar. A pessoa vai filando as cartas e isso é a emoção do jogo. No crime que ele cometeu, ele começou tirando centavos das contas, passou para um ( na época ) cruzeiro, depois dois e foi aumentando. Começou com uma, duas contas e foi aumentando. Até chegar a milhares  em várias contas. Todos os dias ele esperava que alguém reclamasse como se fosse o filar no jogo. No passar dos dias ele ia aumentando a quantia  para ver quem reagia. Como em um vício ficou  sem controle. A adrenalina corria em suas veias tal qual um jogador. Até ser apanhado. 

Conto esse fato para fazer analogia com os crimes do Velhaco. Tem muito em comum com o fato do Lula começar mandando em um sindicato e, mentindo, roubando e matando galgar  lugar até chegar onde chegou. Nunca foi pego. Jogou suas cartas uma a uma. Começou jogando baixo e, na medida em que foi ganhando, aumentou o cacife. Para mim continua jogando. Todo dia ele fila suas cartas, esperando quais ainda tem nas mãos, quais serão jogadas. E, faz seu jogo. Sempre ganhou. Mas, um dia ele blefou.
O jogo não acabou mas seus parceiros são duros na queda usam estratégia forte. Talvez Sergio Moro também goste de jogar. Talvez o jogo do Velhaco tenha mudado. Começou a perder mas não abandona a banca. Todo dia ele fila suas cartas. A adrenalina toma conta dele. Podemos ver nas fotos, nos filmes. O jogo continua. Aguardemos.

Nenhum comentário: