terça-feira, 24 de dezembro de 2013

Equador

                                     
Filipe Duarte

O Canal Cultura reprisou a série portuguesa Equador cujo autor é Miguel Sousa Tavares e  ator principal  Filipe Duarte. Um excelente trabalho da televisão portuguesa  e mereceu ser reprisada. Aparentemente, é uma história de triângulo amoroso comum. Entretanto, após análise melhor percebe-se a mensagem que o autor quer passar e compreende-se o trabalho do ator protagonista.

Tido como um dos melhores atores de Portugal, Filipe Duarte dá lições  de interpretação. Consegue dar ao papel a dimensão correta. Na história, percebe-se , ao final, que o papel da Inglaterra, no início do século XX era promíscuo, interesseiro e controlador das ações do mundo e Portugal estava entre os países controlados. Enquanto Portugal preocupa-se em explorar os nativos é explorado pela Inglaterra.

No desenvolver da história, o papel principal, um português governador de São Tomé e Príncipe, cai na armadilha criada pela inglesa, esposa do consul da Inglaterra, mandado para verificar o tratamento dado aos trabalhadores das fazendas, todos negros. Ao envolver-se com a inglesa , o português decreta sua derrota pois esta não quer mais do que atingir seus objetivos aventureiros e de satisfações pessoais. Mas o governador leva à sério a relação. E, como acontecia no início do Século XX, auge do romantismo, desmorona ao perceber que foi instrumento dos interesses da inglesa. 

Se a interpretação for simples é mero folhetim amoroso mas , na verdade, o autor quis mostrar a fragilidade de Portugal ante os interesses frios da Inglaterra. E, quem sucumbe é Portugal, o mais frágil, fazendo com que a Inglaterra, o mais forte, saia de cena depois de destruir uma fonte de desenvolvimento português.

As filmagens tem tons de cinema. Filmado em São Tomé e Príncipe, caracterizado em tons pastéis, roupagens de época, cavalos soberbos e paisagens lindíssimas. Entretanto, teve um erro fundamental porque os petralhas, mais uma vez, interferiram no trabalho alheio e mandaram dublar os atores sem nenhuma necessidade.

Parabéns aos envolvidos nas filmagens. Assistir Equador foi um deleite.


2 comentários:

Nanda disse...

É tão bom ser surpreendida por um filme, livro, música... Beijos, Magui e um lindo natal!

Maria Eugênia disse...

Uau... belíssimo! Quando pequena ouvi de uma tia que homens com esses traços pareciam sido "esculpidos a canivete!"... de tão forte e máscula é a face... hehehe!