terça-feira, 1 de dezembro de 2015

Homem bomba

                                     


Quando vejo juventude saudável, cheia de vida e rumo a um futuro promissor meu coração aperta-se. Estou assim, lamentando o tempo que passou e ter acreditado nas regras de uma  civilização, sempre em decadência. 
É tudo mentira. As regrinhas, hoje reproduzidas à exaustão na mídia, são estúpidas, autoritárias e servem ao sistema. Por isso diferem de lugar a lugar, de tempo para tempo. São cunhadas na medida do interesse de quem detém o poder. A única regra digestível é o amor ao próximo. Sequer é amar como a si mesmo pois há quem não se dê ao luxo de amar-se.

O que diferencia o ser humano é a vontade de dominar sua própria vida e aquele que nasceu para ser comandado. Uma das frases mais estúpidas cunhadas por algum intelectual beócio é a que diz: 
-Manda quem pode, obedece quem tem juízo. 
Falso como uma nota de três reais. Burra como é um autoritário ou alguém que nasceu para ser capacho.

Gosto de ler  biografias e não conheço nenhuma onde o biografado não foi quem comandou sua própria vida. E, as definições aparecem entre 18 e vinte e três anos. Geralmente é contra o estabelecido e com perseguição pesada de quem custa a entender as coisas ou está sediado em suas  benesses. 
Depois disso, resta seguir o que lhe diz o sistema e, inclusive, ser seu propulsor.

Não é fácil ser você mesmo quando a força para que se enquadre é forte. Muitos sucumbem. Mas, sempre haverá derrotas onde a dor da perda é lamentar por não ter colocado  fogo em tudo e de uma vez.

Nenhum comentário: