sábado, 11 de junho de 2016

Política e políticos

                      

A política rasteira encontrada no país é consequência da falta de educação formal. Quando uma pessoa não tem formação intelectual com  bons professores que incentivam a leitura e, até mesmo livros bons para ler, fica difícil fazer política.A formação cultural e do cognitivo é deficitária e reflete quando externa o pensamento e atitudes. O líder natural se perde na orientação equivocada de seus pares mal formados mas mais espertos.
Não se pode fazer política por instinto. Seria a negação do que se conquistou por séculos. Política é uma ciência social como outra qualquer e , até mesmo, os especialistas caem em contradição e falam as maiores asneiras em debates e conferências.

Por aqui, os livros ainda são caros  e não tem onde comprar, quando a pessoa mora no interior do Brasil. E, não são livros comuns  mas que descrevem a vida, os costumes de ontem e de hoje. Sei que existem coleções de livros em formato de bolso, fragmentando publicações completas, sobre o pensamento de grandes filósofos, sociólogos e literatura mas não há o hábito da ler.

Qualquer forma de leitura é válida mas os textos expostos na internet tem erros de arrepiar os cabelos. Sequer diferenciam MAIS de MAS, A GENTE  e AGENTE, pontuação execrável. Eu leio todos os comentários de qualquer texto para acompanhar o raciocínio de diversas vertentes do povo participante e muitos não conseguem expor suas idéias em uma frase. No texto podemos perceber que a pessoa tenta ter raciocínio bom mas não consegue dispor ao escrever. E, pior não entende o texto anterior, não compreende a mensagem passada mas comenta preso ao seu mundo restrito, sem leitura, com horizonte limitado.

A democracia precisa de um parlamento que represente as diversas camadas da população. Mas, se um país forma semi analfabetos alçados ao poder, corre o risco de ter uma massa inculta, com dificuldade de assimilar o que se passa e ser liderada por uma classe de espertos como ocorreu na história recente do Brasil.

Como vamos ficar com um tipo como o deputado federal pelo Maranhão, que foi reitor de universidade e ao ter o cargo de presidente da Câmara federal, meteu os pés pelas mãos, fazendo o Brasil passar vergonha internacional? Se cair toda a cúpula do poder legislativo federal, quem vai ficar no lugar? Quem teria experiência e arcabouço mínimo para exercer as funções de presidentes do senado e da câmara?

Se existe líder natural na política, com formação acadêmica boa, caráter forte e independente, formação correta do seu lugar como cidadão é o momento histórico para surgir e marcar seu lugar.

Nenhum comentário: