sábado, 9 de abril de 2011

Massacre de Realengo

               
Semana passada a falta de tragédias,  crimes caprichados, desastres naturais ou não, deixou a mídia doida. Marasmo total. O jeito foi reprisar catástrofes passadas, antigas.  Aí aconteceu o Massacre de Realengo.  Salvou os programas catastrofistas. Não se fala em outra coisa. Derepente um acontecimento localizado virou  tragédia nacional que traumatizou o Brasil e fez de qualquer  brasileiro um assassino em potencial.
-Fechem as escolas, tem um brasileiro vindo ali ...
O melhor de tudo foi um comentário que eu li no portal Terra:
-Agora o Brasil ingressou no primeiro mundo.

7 comentários:

Jota Effe Esse disse...

Não bastasse a tragédia, ainda tivemos o desastre que foi a fala do desgovernador do Rio, chamando de animal o doente mental causador dessa desgraça. Se o doente mental é um animal, então temos que ficar distante do desgovernador, porque pode ser um animal feroz. Meu beijo.

Nana disse...

Ainda nao tenho palavras sobre essa tragédia. A principio, fomos comparados mundialmente à tragédias norte-americanas, causadas por adolescentes "vítimas" daquela política ridícula das escolas de lá.
Aos poucos, pelos noticiários, vemos que o crime foi premeditado, planejado e que várias pessoas ajudaram aquele garoto - que devia precisar de ajuda e não ser chamado de animal - a cometer tal atrocidade. Acredito que o que nos resta é continuar lutando por um mundo melhor e orar a Deus para que Ele dê o conforto que as famílias das vítimas precisam nesse momento.
Bjs e fik c Deus.

Lucimere disse...

Deixa de ser reportagem; Parece um culto a desgraça...

boa semana.

Luciana Vannucchi de Farias disse...

Sabe que eu passei dias com os jornais desligados? Pois até no bom dia São Paulo eles fizeram questão de passar vídeo das crianças fugindo. Pra que isso, gente??? Eu tenho filha da idade daquelas crianças, não preciso ficar sendo martelada com isso. Minha filha, menos ainda... o que dirá das família atingidas, então???

Beijocas!

Blog do Beagle disse...

Magui, preocupa-me o reflexo desse abuso das imagens sobre os jovens que, podem passar a ter medo de suas escolas. Sempre houve buling e se quer saber, eu sofri por parte de uma professora que não gostava de mim !!! Entrevistar os pequenos, menores de 10 anos é absurdo e não sei como os pais deixaram! Tá certo, é tragédia, é horrível e morrewram jovens inocentes, mas a exploração não os trará de volta e menos ainda, o jovem doente e não tratado que continua no IML esperando que alguém o reclame... Bj

Maria Inês disse...

De tudo isso que aconteceu fica a certeza que quem está morrendo é a educação. O que a escola em que o atirador frequentou fez para resolver o bulling que ele sofria dos colegas? Quem interferiu para que o problema fosse pelo menos amenizado? Ninguém da escola sabia que ele era um adolescente problemático? A escola não cumpriu com seu papel assim como o governo abandonou os professores a própria sorte. E agora vem o governador( que por acaso estava no Rio no dia da confusão), a Dilma e cia chorar ??? Agora o governo é participativo e está preocupado com o que aconteceu. Tenho certeza de que algum professor ou especialista procurou dar assistência ao atirador mas ninguém fez nada para dar suporte. Professor não é especialista em resolver este tipo de problema. As Secretaria de Educação e de Saúde é que devem ter uma equipe multidisciplinar presente nas escolas. Infelizmnte quem morreu tb foi a educação. Há muito tempo.

Mazé Oliveira disse...

Gostei do seu blog e vou me fazer seguidora. Também leio Altino Machado. Escrevi um texto falando sobre a tragédia do Rio em meu blog. O que temos relmente é uma educação capenga. Sou pedagoga e sei do que falo. Os concursos para esses profissionais deveriam ver também a parte emocional e afetiva dos candidatos, pois temos nas nossas escolas brasileiras profissionais desequilibrados que contribuem para piorar os desajustes desses alunos.Sem contar com a falta de apoio do Estado para o tratamento dos casos.Um abraço!