sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

Plantando buriti

                                  
Subindo a rua para vir para minha casa, passo em frente a um prédio onde tem uma palmeira que eu suspeito ser um buriti. Pelas folhas e os frutos que caem no chão parece ser um buriti.

Um certo dia, tropeçando nos frutos, espalhados pelo passeio, peguei  três ou quatro e plantei à esmo, no canteiro, outro em um vaso grande e num vaso pequeno.

O que germinou no vaso pequeno era forte e bonito. Desconheci os outros, esperei pegar e passei para uma lata de tinta que guardei para isso mesmo. Tem dois anos mais ou menos. Está uma planta belíssima e eu já cogito duas saídas: Uma, deixar na lata mais uns dois ou três anos ( se eu viver até lá) ou plantar na calçada  na próxima vez que chover dias seguidos.

Precisa ser em um lugar onde parte da tarde dê uma sombra. Já escolhi, na rua perpendicular à minha, onde o prédio faz sombra no lugar à tarde.

Como diz Pero Vaz de Caminha na Certidão de Nascimento  do Brasil: 
- Nessa terra, em se plantando, tudo dá.

                                        
O mesmo buriti, seis meses atrás.

                                     
                                      
                                            

Nenhum comentário: