quarta-feira, 7 de dezembro de 2016

A bola está em jogo

                           
Pelo menos existe petista equilibrado no senado federal. Enquanto os membros do STF brigam entre si como se não tivessem responsabilidade com a estabilidade nacional ou a harmonia entre os poderes da nação, surge um político que sabe pensar com independência. Este é o senador Jorge Viana. Ex governador do Acre e irmão do único governador eleito pelo PT. Não é um aventureiro e , parece, a república do Acre tem família hegemônica como o é no Ceará e Alagoas. Não importa nessa hora. Em lugares pequenos, as lideranças se repetem. O que importa é que Jorge Viana não foi com sede ao pote e nem com o sentimento mesquinho da revanche.

O Ministro Marco Aurélio, do STF, vergando-se ao grupo que vai as ruas bradar seus descontentamentos, deu liminar afastando o senador Renan Calheiros da presidência do Senado. Canetou, como se fosse um juizeco de primeira instância. Não importou em momento algum se sua decisão faria  o país virar de cabeça para baixo. Ao afastar Renan Calheiros, tomaria posse o primeiro vice presidente do Senado que é do PT, partido do Lula e inimigo do PMDB do presidente Temer. Todas as propostas para viabilizar o governo Temer e o Brasil poderiam perder-se. Isso na cabeça dos imbecis da nação que pagam para ver o país pegar fogo, principalmente atrás dos teclados de um computador. E, seu conhecimento de Direito é do touro na arena.

Renan seria afastado por um processo que dura oito anos e refere-se a um suposto pagamento que uma empreiteira teria pago de pensão alimentícia em nome de Renan.

Existe no Brasil, grupos ligados a gente radical de direita. Estes, criaram páginas  na internet apenas para soltar boatos, interpretar a seu modo o que se passa na política, tomar o poder na marra, conduzindo pessoas insatisfeitas com sua situação social, a classe média brasileira.
Já houve esse tipo de gente no Brasil e quero lembrar Carlos Lacerda que dedicava vinte e quatro horas da sua vida para ver o Brasil pegar fogo. Conseguiu enquanto teve poder. Morto no ostracismo, ninguém se lembra dele. Não colaborou em nada com a construção de um país melhor. Agora, o mesmo discurso e compostura permanecem tumultuando a nação. A história se repete.

Aí surge uma pessoa equilibrada e de onde menos se esperava, do Partido dos Trabalhadores. Se ele tivesse aceitado que Renan Calheiros devia ser afastado e ocupado a cadeira de presidente do Senado, poderia gerar uma crise institucional sem precedentes. Mas manteve-se sereno, focado na realidade, entendeu o jogo dos inimigos e não caiu na arapuca. A inteligência é um dom precioso e Jorge Viana, para o bem do Brasil, possui a visão própria dos acreanos como a história já demonstrou.

A bola está em jogo...                                              

Nenhum comentário: